Investigação

Polícia Civil vai investigar assassinatos de índio e madeireiro em terra indígena no MA

As investigações devem ser iniciadas nesta segunda-feira (4).
Imirante.com Imperatriz03/11/2019 às 07h46
Polícia Civil vai investigar assassinatos de índio e madeireiro em terra indígena no MAPaulo Paulino Guajajara era uma liderança indígena e um dos "guardiões da floresta". (Foto: divulgação)

BOM JESUS DAS SELVAS – A Delegacia de Polícia Civil da cidade de Bom Jesus das Selvas vai começar a investigação a partir desta segunda-feira (4), dos assassinatos de um índio e de um madeireiro. As mortes aconteceram durante um confronto, na sexta-feira (1º), dentro da reversa indígena Arariboia, região de Bom Jesus das Selvas.

Saiba mais:

Líder indígena Guajajara é morto em conflito com madeireiros

Sergio Moro afirma que Polícia Federal vai investigar assassinato de líder indígena no Maranhão​

No confronto, houve troca de tiros e morreram o líder indígena Paulo Paulino Guajajara e um madeireiro, identificado como Márcio Greique. O corpo de Márcio foi retirado da terra indígena pela polícia e levado para Buriticupu para ser velado na casa de familiares.

A ocorrência da morte de Márcio Greique foi registrada nesse sábado (2), na Delegacia de Bom Jesus das Selvas. Mas só na segunda-feira, com o retorno do delegado titular da delegacia, Wanderson Oliveira, é que as investigações serão iniciadas para apurar as circunstâncias das duas mortes.

No confronto, foi baleado, ainda, Laércio Sousa Silva, conhecido "Laércio Guajajara". Ele foi atingido com um tiro no braço e outro na nuca, mas conseguiu fugir antes de ser transferido para um hospital em Imperatriz. De acordo com Laércio, os índios foram atracados por cerca de cinco homens.

Na terra indígena Arariboia o clima continua tenso. Os índios temem novos ataques e não deixaram que a Polícia Civil retirasse o corpo de Paulo Paulino Guajajara para exames no Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz.

Exploração de madeira

A situação na Terra Indígena Arariboia já havia sido denunciada pelo grupo indígena que acusava os madeireiros de ameaça. Segundo os indígenas, as ameaças aumentaram após a apreensão de veículos utilizados na extração ilegal de madeira nas terras indígenas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.