Investigação

Ministério Público vai investigar morte de idosa após corte energia, em Imperatriz

De acordo com o MP, três hipóteses estão sendo avaliadas.
Imirante.com / Imperatriz05/02/2020 às 13h00
Ministério Público vai investigar morte de idosa após corte energia, em ImperatrizJosefa Maria ainda estava com o curativo do soro que tinha tomado, quando a família foi abordada por um funcionário da Equatorial Maranhão. (Foto: divulgação)

IMPERATRIZ – O caso da idosa Josefa Maria da Conceição, de 92 anos, que morreu após a energia de sua casa ter sido cortada por falta de pagamento, segue repercutindo. O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) está investigando o caso, que chocou a população pela forma em que o fornecimento de energia foi suspenso.

De acordo com o MP-MA, três hipóteses estão sendo avaliadas. Foi solicitado um laudo do corpo da idosa ao Instituto Médico Legal (IML) para atestar se a causa da morte está relacionada com o corte de energia elétrica da casa.

“Sabemos que um mero atraso não é suficiente por si só para gerar o corte. É necessário avisar com antecedência o consumidor e deixar transcorrer pelo menos 15 dias entre o aviso e o corte. O segundo fato a ser investigado é a causa da morte da idosa. E o terceiro fato é saber se há uma relação entre a morte e o corte de energia elétrica”, ressalta o promotor de justiça da pessoa idosa, Joaquim Júnior.

Ele também explica que “ainda que o falecimento não tenha se dado exclusivamente por conta do corte, mas se esse corte de fornecimento de energia agravou de algum modo o estado de saúde da idosa, e isso tenha levado ela a uma piora, e consequentemente a morte, isso por si só já seria o suficiente para que se responsabilizasse a empresa por essa morte, e também, para que empresa sofresse algumas penalidades, tanto na esfera cível, quanto na esfera administrativa, e até criminal”.

Entenda o caso

Josefa Maria da Conceição morreu nessa terça-feira (4), em casa, após receber alta do hospital, onde tinha passado a noite de segunda-feira, internada com problemas respiratórios. Ela ainda estava com o curativo do soro que tinha tomado, quando a família foi abordada por um funcionário da Equatorial Maranhão.

O genro da idosa, e dono da casa, pediu um prazo, e gravou um vídeo, mostrando que o funcionário estava ciente da condição da idosa, mesmo assim, a energia elétrica foi cortada.

De acordo com o familiar, a conta estava com menos de 30 dias de atraso, e tinha recebido a reaviso de corte naquele dia. Ele disse ainda, que a idosa precisava de aparelho de nebulização que funciona através de energia elétrica, conforme orientação médica. O caso aconteceu no bairro Itamar Guará, periferia de Imperatriz.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.