Via Digital

Mercedes-Benz amplia sua ofensiva elétrica no Brasil

Com o lançamento de 3 modelos, marca alemã expande para 5 elétricos à venda. E promete mais 3 para 2023.

Por Lucia Camargo Nunes*

Mercedes-Benz.
Mercedes-Benz. (Divulgação)

A Mercedes-Benz criou em 2019 uma submarca chamada EQ, de veículos elétricos. Aqui no Brasil já estavam nas lojas o EQC e EQS. 

Agora, a marca alemã começa as vendas do EQA, EQB e EQE. E a promessa para 2023 é trazer mais 3 SUVs elétricos. 

A ideia é atrair um público mais jovem, endinheirado, que vai entrar na marca e busca eficiência, esportividade e tecnologia.

A Mercedes-Benz possui 13 concessionárias no país habilitadas a comercializar e atender o pós-vendas da linha EQ.

Todos os modelos elétricos vendidos incluem um pacote de energia desenvolvido em parceria com a Enel X, que inclui um carregador wallbox e instalação no local escolhido pelo cliente. 

Além desse pacote, o modelo possui 3 anos de manutenção preventiva já inclusa e 3 anos de garantia de fábrica.

SUVs familiares

Os dois modelos de entrada são o EQA 250, “primo” do GLA, com 5 lugares, e o EQB 250, com seu similar a combustão GLB, de 7 lugares. 

O EQA se destaca pelos para-choques mais robustos, assinatura dos faróis de uma ponta a outra, teto solar panorâmico, rodas de 19” e design esportivo com pacote AMG. Custa R$ 480.900. 

O EQB (por R$ 502.900) é 3 cm mais alto e com maior espaço de porta-malas (495 litros) – enquanto o elétrico de 5 lugares leva 340 l. 

Ambos contam com motor de 190 cv e 38,2 kgfm de torque, com autonomia de 496 km (EQA) e 474 km (EQB). Em postos de recarga rápida, as baterias podem ter 80% da bateria recarregada em 31 minutos. 

EQE: sedã esportivo

A proposta com o EQE é oferecer um sedã elétrico de quase 5 metros, com linhas de cupê e carroceria de linhas fluidas (cx de apenas 0.20). 

Os destaques de seu design estão no spoiler traseiro, rodas de 21”, lanternas em formato de hélice com faixa contínua de LED, faróis digitais e maçanetas embutidas. O porta-malas abriga 430 l. 

O motor, de 245 cv e 56 kgfm de torque, é montado no eixo traseiro e tem alcance de até 645 km. 

Uma curiosidade: trata-se do primeiro veículo feito 100% com aço reciclado, o que ajuda a reduzir em 60% a emissão de CO2 e possui 75 kg de componentes reciclados. Preço do Mercedes-Benz EQE: R$ 709.900.

SUVs Caoa Chery têm novidades na linha 2023

Depois de renovar sua linha de veículos no Brasil, com a oferta de híbridos em paralelo aos modelos flex e também de um novo elétrico, a Caoa Chery promove novidades na linha 2023.

A versão apenas a gasolina do Caoa Chery Tiggo 8 passa a vir com o sobrenome TXS Max Drive, com o acréscimo de um pacote de assistência ao motorista. O motor é o 1.6 turbo de 187 cv acoplado ao câmbio automatizado de dupla embreagem de 7 marchas.

Por fora, o SUV de 7 lugares, fabricado em Anápolis (GO), recebeu uma ligeira alteração em para-choque, com farol de neblina direcional, e no desenho da tampa traseira, que agora exibe a barra de LED que interliga as lanternas. 

Em seu interior, o painel de instrumentos digital de 12,3” está com novo layout. 

Mas a maior novidade fica por conta do pacote Max Drive de segurança ativa: por meio de suas câmeras e radares, o Tiggo 8 passa a vir equipado com farol-alto automático, alerta de tráfego cruzado traseiro, alerta de saída de faixa, monitor de ponto cego, alerta de colisão frontal, alerta de distância frontal, piloto automático adaptativo e frenagem automática de emergência com detecção de pedestres e ciclistas. 

Com o novo pacote, o Tiggo 8 passa a custar R$ 214.990.

O Tiggo 7, também produzido em Anápolis, passa a contar com o novo pacote Max Drive de segurança, com os mesmos itens de assistência ao motorista do Tiggo 8 e motorização 1.6 turbo de 187 cv.  Seu preço sugerido é de R$ 199.990. 

Sob nova direção

O Grupo Caoa, aliás, está sob nova direção. Carlos Alberto de Oliveira Andrade Filho, herdeiro do fundador do grupo falecido em 2021, assumirá como presidente a partir de 1º de dezembro, substituindo Mauro Correia, que passa a ocupar o cargo de vice-presidente.

Formado pela Universidade de Brown nos EUA, o executivo de 23 anos é apontado como um dos responsáveis pela decisão da empresa em oferecer todo o portfólio eletrificado.

*Lucia Camargo Nunes é economista e jornalista especializada no setor automotivo, editora do portal www.viadigital.com.br. E-mail: lucia@viadigital.com.br

 

 

 

 

Mercedes-Benz amplia sua ofensiva elétrica no Brasil

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.