No pódio

Dupla do Maranhão, Fábio Cadasso/João Afro, encerra edição épica do Sertões

Cadasso Racing cruzou a rampa de chegada no litoral paraense na 4ª posição na categoria Pró Brasil.

Com informações da assessoria

Dupla na rampa de chegada em Salinópolis, no litoral do Pará
Dupla na rampa de chegada em Salinópolis, no litoral do Pará (Vinícius Branca/Fotop)

SÃO LUÍS - Após mais de 7.200 km e desbravar as cinco regiões do país em 14 dias, terminou no sábado (9), o maior rali do mundo nas areias de Salinópolis, no Pará. A edição de 30 anos do Sertões ficará marcada na história dos competidores que foram à exaustão e testaram seus limites e o das máquinas durante 14 etapas que começam em Foz do Iguaçu, no Paraná, em 27/8. Os únicos representantes do Maranhão na categoria carros encerraram o rali no pódio. A equipe Cadasso Racing formada por Fábio Cadasso e João Afro #342 conquistou a 4ª posição na Pró Brasil. Essa é a quinta vez que a dupla sobe ao pódio no Sertões.

A dupla conquistou o resultado também após completar a última Especial na 2ª posição na Pró Brasil. A 14ª etapa entre Paragominas e Salinópolis, no Pará, teve um total de 353 km, dos quais 126 de trechos cronometrados e os competidores de São Luís (MA) andaram forte e com estratégia.

“Foi muito boa essa edição de 30 anos, no início do rali chegamos a liderar na categoria. Depois tivemos alguns problemas mecânicos mas que foram solucionados por nossa equipe de apoio e voltamos para à prova. Tanto que na última etapa finalizamos em 2º na categoria e mostrou que tínhamos carro para isso”, explica Cadasso em sua 10ª participação na competição. “Para nós ter um carro totalmente preparado no Maranhão, uma equipe de lá e um piloto e navegador de São Luís e conquistarmos esse 4º lugar foi muito significativo para nós e para nosso estado”, completa o único piloto a competir em todas as modalidades do Sertões (motos, quadris, UTVs, carros e caminhões).

Em sua 7ª participação na prova, o navegador explica os perrengues de uma edição longa que cruzou oito estados por cinco regiões do país. “O Sertões 30 anos teve várias adversidades não somente do dia a dia da prova, mas também para reposição de peças, afinal foram 14 dias e isso também nos prejudicou. Mas nossa equipe de apoio foi exemplar, sempre deixou o carro pronto para largamos. Fomos recuperando posições, poupando o equipamento para chegarmos a Salinópolis e no pódio. Estamos muito felizes”, afirma João Afro“. Ano que vem vamos corrigir os erros desta edição, melhorar ainda mais para levar a bandeira do Maranhão para o 1º lugar no pódio”, avisa o navegador.

A dupla chegou a liderar na Pró Brasil no acumulado na 3ª etapa. Mas a partir da 4ª etapa enfrentou problemas mecânicos e com os pneus, o que complicou o desempenho e perdeu posições na classificação acumulada por não ter completado algumas Especiais. Desde a largada em Palmas (TO), em 4/9, Cadasso/Afro também competiram pelo Sertões Norte (sete etapas entre Palmas e Salinópolis/PA).

Trajetória da equipe 

O piloto de São Luís, Fábio Cadasso, está em sua 10ª participação no Sertões e é o única a competir em todas as modalidades. Em oito edições, conseguiu a façanha de pilotar nos caminhões, carros, quadris, motos e UTVs. Fábio Cadasso e João Afro estrearam no Sertões em 2012, na categoria Caminhões Leves, pela Ford Racing Trucks/Território Motorsport, quando terminaram em 3º na categoria.  

Em 2013, Cadasso pilotou um Troller (Troller Racing/Território Motorsport) e terminou em 3º na Production T2.  No mesmo ano, conquistou os títulos Brasileiro e Paulista de Rally Cross Country 2013, nos Caminhões Leves. Dois anos depois retornou ao grid e passou a competir com equipe própria com uma Pajero TR4, novamente ao lado Afro, com quem conquistou por três anos o pódio:  5º lugar em 2015 e 2017 e vice-campeão em 2016, sempre na Production T2. Guerreiro e movido a desafios, encarou a edição de 2018 de moto (CRF 250cc), mas se acidentou e não completou a prova, depois em 2019 disputou nos quadris (700cc) e fechou em 5º na categoria e, em 2020, estreou nos UTVs, com o navegador Arthur Carvalho, finalizando em 7º, na Over 45.  

Em 2021, devido a um princípio de incêndio no carro durante o deslocamento da 4ª etapa, a participação da dupla foi abreviada. Apesar de Cadasso e Afro terem conseguido controlar as chamas e nada de grave sofrerem, optaram em não continuar na prova, pois o equipamento ficou parcialmente danificado. Em 2022 conquistam pódio em 4º na Pró Brasil.

A equipe Cadasso Racing conta com o patrocínio do Grupo Mateus e Governo do Estado do Maranhão - Secretaria de Esporte e Lazer - por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. E também tem o apoio da Speed Wrap Garagem, Off Road SLZ, Agência Pipa, JC Ambiental e Postos Júlia Campos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.