Moto Club em alta!

Após início ruim, Júlio César evolui com mudanças no time e "proteção" ao elenco fora de campo.

Técnico, que segue em evolução junto com a equipe, se emociona e chora após vitória emocionante.

Eduardo Lindoso / Imirante Esporte

- Atualizada em 23/05/2022 às 10h25
Júlio César Nunes tem cinco vitórias e quatro derrotas no Moto Club
Júlio César Nunes tem cinco vitórias e quatro derrotas no Moto Club (Hiago Ferreira / Moto Club de São Luís)

SÃO LUÍS – Ao chegar sob forte desconfiança, o técnico Júlio César Nunes vai aos poucos ganhando o coração da torcida motense. Até o momento, são nove jogos, com quatro derrotas e cinco vitórias, um aproveitamento razoável, mas longe de ser ainda uma unanimidade. Porém, mesmo ainda oscilando na temporada, a equipe rubro-negra tem ganhado cada vez mais a “cara do treinador”, que barrou jogadores mais experientes por jovens da base, e tem cada vez mais ganhado o grupo com seu apoio incondicional, até mesmo nas derrotas. Depois da virada épica sobre o Fluminense (PI) no domingo (22), o comandante se emocionou.

VEJA MAIS 

Com virada emocionante, Moto vence Fluminense (PI) e volta à liderança

"O resultado é do grupo", diz heroi do Moto
 

Depois de chegar na reta final do Campeonato Maranhense – e não conseguir levar o Moto Club à final –, Júlio César passou a ter ainda mais a desconfiança do torcedor motense após a estreia ruim na Série D, com derrota por 3 x 0 para o Castanhal. Essa derrota na abertura do Campeonato Brasileiro ficou ainda mais pesada quando o técnico afirmou que seu time havia sido superior e o adversário teria “contado com a sorte”.

Mas ali, naquela declaração polêmica, que parecia mais uma desculpa para mascarar uma derrota, Júlio César já dava demonstrações sobre sua lealdade aos atletas. Em seguida, por causa do elenco curto, e também lesões e suspensões, ele encontrou saídas criativas e tem superado as dificuldades. Com apenas o lateral-direito Douglas, que se lesionou antes mesmo da sua estreia, no grupo, Nunes improvisou o volante e capitão Lucas Hulk na função, o jogador aceitou a missão, tem jogado bem e segue fazendo o trabalho, mesmo com o retorno do lateral de ofício. 

No meio de campo, mesmo com as presenças dos experientes Cletinho e Leomir no elenco, o jovem da base Ronald, assumiu a posição de criador do time, tem só crescido de produção e virou titular. No ataque, o também cria da base, Enzzo, foi promovido pelo professor, e deixou o até então goleador da equipe, Dagson, na reserva. Todo dedo do treinador.

Dedicação, família e emoção 

Depois de ver sua equipe perdendo por 2 x 1 para o Fluminense (PI) até o fim da partida, e virar de forma histórica, com dois gols em cinco minutos, Júlio César não conteve a emoção. 

O técnico motense chegou a chorar ao dedicar a vitória às famílias dos jogadores e também à sua própria família. 

“A gente está sempre lutando, sempre dando a vida. Então eu dedico também aos meus atletas, e a família deles, que estão longe também. A gente sabe o que eles passam, morando no alojamento, morando longe de casa. E também dedico a minha família, que está pagando preço. Porque à medida que eu sou um melhor técnico a cada jogo, eu acabo não sendo um melhor pai. Mas eu dedico a família dos meus atletas, a todos os meus atletas e à minha família”, disse Nunes, com os olhos marejados, ainda à beira do gramado do Nhozinho Santos.

Com esse triunfo sobre o Fluminense, o Moto Clube chegou aos 12 pontos no Grupo 2 da Série D e segue na liderança da chave. O próximo compromisso do Papão será contra a Tuna Luso (PA) fora de casa, no estádio Souza, no próximo sábado (28), em Belém (PA). Essa partida terá transmissão da rádio Mirante AM e cobertura completa do Imirante.com.


 


 


 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.