Via Digital

Duas novas picapes prometem agitar o mercado

ançada semana passada, a Ram Classic vem para brigar com as picapes médias topo de linha. E a Chevrolet Montana, para o início do ano, quer tirar o reinado da Fiat Toro.

Lucia Camargo Nunes*

- Atualizada em 20/09/2022 às 17h08
Nova Ram Classic.
Nova Ram Classic. (Foto: Divulgação)

BRASIL - Em tempos de Strada como líder do mercado, as picapes nunca estiveram tão em alta. Hoje, esses modelos com caçamba, de tamanhos diversos, representam quase 17% de todo o mercado. As próximas apostas serão de sub-segmentos distintos e prometem fazer barulho entre a concorrência.

A Ram Classic estreia esta semana como aposta de picape grande para atrair a atenção de clientes de versões topo de linha de Toyota Hilux (GR-S custa R$ 354.790), Ford Ranger (Limited a R$ 321.090), Chevrolet S10 (High Country sai por R$ 316.050) e Nissan Frontier (Platinum ou Pro-4X por R$ 323.890), entre outras.

Os preços, de fato, batem na trave das versões mais caras das médias: R$ 349.990, a Ram Classic Laramie e R$ 359.990, a Ram Classic Laramie Night Edition.

Para levar vantagem em preço, a picape grande virá do México em uma geração anterior à atual 1500. Para convencer essa seleta clientela de que não está de brincadeira, a Ram vai trazê-la na configuração de 8 cilindros.

A 1500 Classic vem equipada com motor Hemi V8 de 5,7 litros aspirado que entrega 400 cv – o dobro de potência dos motores turbodiesel das picapes médias.

Consumo não é seu forte: movida apenas a gasolina, faz 5,2 km/l na cidade e 6,4 km/l na estrada. Dependendo do trajeto, não chega a fazer 500 km com um tanque (98 litros). E uma parada no posto vai lhe custar R$ 500!

O interior conta com tela de 7” no painel de instrumentos, multimídia de 8,4” com conexão com cabo e um espaçoso interior. Para deixá-la mais “barata”, não conte com faróis de LED nem assistentes de direção.

A caçamba acomoda até 1.431 litros e apenas 531 kg. Já a capacidade de reboque é de 3.354 kg.

Montana demora mais um pouco

A tão esperada concorrente da Fiat Toro está no forno. A nova Chevrolet Montana vai usar a plataforma do SUV Tracker e de acordo com fontes do mercado, vai ter porte um pouco menor do que a rival da Fiat.

A principal aposta é de usar motor 1.2 turbo de 3 cilindros, o mesmo do Tracker, que gera 133 cv, que na picape pode até render um pouco mais.

Se existe uma imensa lacuna entre os números de vendas da Toro (35 mil unidades até agora) e a Renault Oroch (6.500), esta com a proposta de ser uma picape de trabalho, é aí que a Montana vai querer atacar e certamente vai vir com uma política agressiva de preços: enquanto a picape da Fiat começa em R$ 142 mil e a da Renault parte de R$ 109 mil, espere um meio-termo.

E a longa espera pode ter outro alvo: mirar versões de cabine dupla da Strada, que começa em R$ 122.800.

As vendas da nova Montana são esperadas para início de 2023.

Renault lançará 3 novos elétricos em 2023

A Renault avança em sua ofensiva de eletrificação com mais três novidades, entre o primeiro e o segundo semestre de 2023.

Depois de Zoé e Kwid 100% elétricos, a fabricante de origem francesa anunciou a chegada de mais três modelos que carregam na tomada: o Mégane E-tech e os comerciais Kangoo e Master elétricos.

Agora com carroceria crossover, o Mégane virá na versão mais potente, de 220 cv (160 Kw). A bateria de 60 kWh permite rodar 450 km por ciclo.

Com um wallbox de 7,4 kW é possível recarregá-lo quase por completo em 8 horas. Numa estação de carga rápida de 130 kW, bastam 30 minutos para ele atingir alcance de 300 km.

O preço ainda não foi divulgado, mas não espere nada abaixo de R$ 350 mil.

Kwid E-Tech: o elétrico mais barato do Brasil

A Renault iniciou as primeiras entregas do Kwid E-Tech. Até o fim do ano, a montadora espera comercializar 800 unidades do compacto, que custa R$ 143 mil e é o carro elétrico mais acessível do mercado.

Com motor de 65 cv (48 kW) o Kwid E-Tech chega à velocidade máxima de 130 km/h. Sua bateria de 27 kWh promete autonomia de 298 km se rodar só na cidade.

Quase 70% de sua carga pode ser atingida em 9 horas em tomada residencial. Em um wallbox de 7 kW a recarga completa deve levar cerca de 4 horas.

Comerciais

O Kangoo E-Tech é uma proposta de veículo comercial compacto para operar dentro das cidades, onde um elétrico depende menos da autonomia, roda em silêncio e pode ser recarregado na madrugada.

Com motor de 120 cv, a bateria de 45 kWh do furgão lhe oferece 300 km de alcance. O comercial já está em pré-venda, com entregas no primeiro semestre do próximo ano. Seus preços não foram informados, mas a expectativa é que comece em R$ 250 mil.

Já o furgão Master E-Tech, com lançamento no segundo semestre de 2023, não teve detalhes técnicos divulgados, entretanto já conta com concorrentes no Brasil, como Citroën e-Jumpy e Peugeot e-Expert e, em breve, a Ford E-Transit.

*Lucia Camargo Nunes é economista e jornalista especializada no setor automotivo, editora do portal www.viadigital.com.br. E-mail: lucia@viadigital.com.br

Duas novas picapes prometem agitar o mercado

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.