No Maranhão

Empresa leva cursos técnicos a comunidades que vivem em povoados ao longo da ferrovia

O projeto "Caminhos do Aprendizado" oferece cursos gratuitos.

Divulgação

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h27

SÃO LUÍS - Projeto tem parceria com SESI e SENAI e leva formação técnica a comunidades vizinhas à ferrovia Carajás que vivem distantes dos centros de ensino técnico instalados no Estado. Aulas são realizadas em parceria com as Associações de Moradores.

A mineradora Vale está oferecendo cursos técnicos para comunidades vizinhas à Estrada de Ferro Carajás em regiões distantes dos polos de ensino técnico instalados ao longo do trajeto feito pelo trem. Para viabilizar o projeto, a empresa firmou parceria com SENAI, SESI e agora a formação é realizada dentro dos povoados e comunidades, com o apoio das Associações de Moradores dessas localidades. A ferrovia Carajás percorre cerca de 350 comunidades entre os Estados do Pará e Maranhão.

O projeto, chamado de "Caminhos do Aprendizado", oferece cursos gratuitos de Assistente Administrativo, Costura em Malha e Tecido, Carpinteiro de Obras, Iniciação em Instalações Hidráulicas, Eletricista de Instalações Prediais, Pedreiro de Alvenaria, Armador de Ferragem, Mecânico de Motocicleta e Educação Alimentar. Desde que foi iniciado, cerca de 200 pessoas já participaram dentro das comunidades de Vila Pindaré, Vila Presinha, Vila Varig, Vila União, Cristalândia, Tucumã e adjacências nos municípios de Buriticupu, Alto Alegre do Pindaré e Bom Jardim. As Associações de Moradores são parceiros na iniciativa, na cessão das sedes para realização das aulas, que geralmente acontecem à noite, adequando-se à rotina dos participantes.

“O projeto Caminhos do Aprendizado é fruto do diálogo com as comunidades. É uma prioridade deles que foi incluída no nosso plano de trabalho. O diferencial é que ele promove uma formação que se encaixa no dia a dia e nas necessidades dessas pessoas. Contribuem não apenas para a transformação no aspecto técnico, do trabalho, mas também com a inclusão social, na mudança da perspectiva de futuro”, destacou Andreia Andrade, gerente de Sustentabilidade da empresa no Maranhão.

Na turma de Soldagem, realizada em na região do município de Buriticupu, beneficiando as comunidades de Vila Pindaré, Presinha, Tucumã e adjacências, destaque para a presença feminina, com as alunas Geane e Glória, que escolheram o curso por afinidade e vocação em meio a uma turma predominantemente masculina. "O trabalho de soldagem em si é visto como uma profissão masculina, porém, nós mulheres também podemos trabalhar como soldadoras e fazer o serviço muito bem. O professor é muito capacitado, dedicado, e nossa turma está de parabéns. Após o término do curso, almejamos fazer cursos mais avançados. É gratificante e trará melhorias para nossos currículos”, afirmou Maria da Glória Silva de Oliveira, aluna do curso de Soldagem.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.