Novo coronavírus

Quase 3 milhões de maranhenses já tiveram a Covid-19, estima inquérito sorológico

Dados da pesquisa foram divulgados na manhã desta terça-feira (25) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).
Imirante.com25/08/2020 às 12h24
Dados foram apresentados em coletiva de imprensa, na manhã desta terça-feira (25). (Foto: Adriano Soares / Imirante.com)

SÃO LUÍS – Os dados do Inquérito Sorológico de infecção por Covid-19 no Maranhão foram divulgados na manhã desta terça-feira (25), durante entrevista coletiva realizada na sede da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em São Luís.

Saiba mais:

Inquérito Sorológico de Infecção por Covid-19 é iniciado em municípios maranhenses

Participaram da divulgação dos dados o Secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, Lídio Gonçalves, chefe do setor da Biologia Molecular do Laboratório Central do Estado (Lacen-MA), e Antônio Augusto Moura, professor doutor titular do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e coordenador geral do Inquérito Sorológico.

O inquérito

A pesquisa teve início no dia 27 de julho e foi realizada em 69 municípios maranhenses. O principal objetivo do inquérito é avaliar o cenário atual da pandemia no Estado e contribuir para conhecer o estágio da infecção pela doença nos maranhenses. A pesquisa foi realizada por 58 entrevistadores.

O inquérito foi realizado por meio de amostragem domiciliar por conglomerados em três estágios, estratificada em quatro regiões. As regiões foram Ilha de São Luís, municípios de grande porte, exceto ilha, (menor que 100.000 habitantes), municípios de médio porte (20 a 100.000 habitantes) e municípios de pequeno porte (menor que 20 mil habitantes).

Em cada estrato, no primeiro estágio, 30 setores censitários foram selecionados por amostragem sistemática. No segundo estágio, 34 domicílios foram selecionados em cada setor censitário por amostragem sistemática. No terceiro estágio, um morador do domicilio com 1 ano ou mais de idade foi sorteado por amostragem aleatória simples. O tamanho amostral mínimo foi estimado em 4 mil indivíduos. As estimativas foram corrigidas pelo efeito de desenho e levaram em conta o efeito de aglomeração, a estratificação e a não resposta.

Metodologia

Para o inquérito, foi aplicado questionário por meio de entrevistas, que foram realizadas por um aplicativo. A plataforma utilizada para o disponibilização do aplicativo foi a EpiCollect, composta por uma ferramenta móvel e uma aplicação web, que juntas permitem que múltiplos entrevistadores forneçam dados a uma base comum on-line.

O questionário teve a finalidade de estudar as estratégias de enfrentamento da pandemia, como o uso de máscara de proteção, higiene das mãos e grau de distanciamento social. Abordou também a situação socioeconômica e demográfica dos participantes, presença de sintomatologia relacionada à Covid-19, busca por serviços de saúde e realização de teste para a doença.

Resultados

Durante o inquérito foram realizadas 3.289 entrevistas com coleta de amostragem de sangue. Desse total, segundo a SES, 3.156 amostras foram analisadas. O estudo constatou que a prevalência de anticorpos contra o vírus SARS-CoV-2, que causa a Covid-19, é de 40,4% no Maranhão, ou seja, mais de 40% da população maranhense já teve a doença.

"Das 4.080 pessoas previstas para serem testadas, 3.289 indivíduos responderam ao questionário e tiveram a amostra de sangue coletada. Isso representa 77,4% de inclusão, o que foi um sucesso, pois, previamente, nós já tínhamos estabelecido isso", informou Lídio Gonçalves.

Lídio Gonçalves, coordenador do Inquérito. (Foto: Adriano Soares / Imirante.com)

Prevalência segundo região

Durante a pesquisa, os 69 municípios participantes do inquérito foram divididos em quatro estratos. O primeiro deles compreende a Grande Ilha, formada por São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar. Os dados mostram que a prevalência da Covid-19, segundo região, ficou da seguinte forma: 38,9% na Ilha de São Luís; 35,2% em municípios de grande porte; 47,6% em municípios de médio porte e 31% em municípios de pequeno porte.

Sexo

Outro resultado apontado pelo inquérito é a prevalência da Covid-19 no Maranhão por sexo. Segundo a pesquisa, 37,2% dos infectados são homens e 42,4%, mulheres. De acordo com os especialistas, essas diferenças de prevalência entre as idades não são consistentes nos estudos identificados.

Escolaridade

O inquérito mostrou, também, a prevalência da doença no Estado por nível de escolaridade. Segundo o levantamento, 40,9% das pessoas que tiveram a Covid-19 no Maranhão tem o ensino fundamental completo, outras 46,2% terminaram o ensino médio e 27,5% concluíram o ensino superior.

Esses resultados indicam relação inversa da prevalência dos anticorpos investigados com a escolaridade mais elevada e com menor número de moradores, sugerindo que desigualdades sociais e composição do número de moradores nos domicílios podem ter maior influência na exposição ao novo coronavírus.

Renda

Outro dado revelado pelo inquérito foi a prevalência da doença levando em consideração a renda dos maranhenses. De acordo com a pesquisa, 40,8% dos entrevistados têm renda menor que R$ 1.000. Já 45,9%, têm renda entre R$ 1.000 e menor que R$ 2.000. Outros 42,9% têm renda entre R$ 2.000 e menor que R$ 3.000 e 27% têm renda menor que R$ 3.000 mil.

Medida de prevenção

Segundo o que foi levantado pelo inquérito, no que diz respeito a prevalência da Covid-19 segundo as medidas de prevenção, no último mês, 44,3% dos entrevistados não cumpriram o isolamento social, e apenas 34% obedeceram a medida.

Já sobre o uso de máscara, 45,9% dos entrevistaram afirmaram não fazer uso do item. Entretanto, outros 36% garantiram que fazem o uso da máscara.

Sintomas

O inquérito revelou, ainda, a prevalência da Covid-19 no Maranhão segundo sintomas. A pesquisa constatou que 26% dos entrevistados foram assintomáticos, outros 12% foram oligossintomático, ou seja, sentiram entre um e dois sintomas, outros 62% foram sintomáticos, sentido três ou mais sintomas da doença.

Comorbidades

Outro ponto analisado pelo inquérito foi sobre o fato das pessoas que tiveram a Covid-19 terem algum tipo de comorbidade. O levantamento apontou que 19,5% dos entrevistados tinham hipertensão, 7,8% possuíam diabetes, 4,4% apresentavam obesidade, 4,0% tinham asma, 3,0% sofriam de doença renal crônica e 8,1% informaram terem outras comorbidades.

Uso de serviços de saúde

Outro dado revelado pelo inquérito sorológico foi que 72,4% dos entrevistados que tiveram a Covid-19 informaram que não procuraram atendimento em serviço de saúde, enquanto 27,6% garantiram que procuraram por atendimento médico.

Ainda se tratando de atendimento na rede de saúde, o inquérito constatou que 8,6% das pessoas não conseguiram ser atendidas, enquanto outras 19% receberam atendimento médico. Também de acordo com os dados, 72,4% não precisou de atendimento.

Taxa de letalidade

Por fim, o inquérito revelou que a estimativa de casos confirmados da Covid-19 no Maranhão é de 2.877.454. Já o número de mortos, segundo estimado, chega a 5.026. "Isso significa de que cada 1.000 infectados, um morre. Essa é uma das menores taxas de letalidade do mundo", explicou o professor Antônio Augusto Moura.

Antônio Augusto Moura da Silva, professor doutor titular do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). (Foto: Adriano Soares / Imirante.com)

Novo inquérito sorológico

Durante a coletiva, o secretário Carlos Lula anunciou que dentro de 45 dias um novo inquérito sorológico será realizado no Maranhão com uma amostragem ainda maior. "A gente vai fazer um segundo inquérito para continuar entendendo o comportamento e a prevalência da doença no Estado do Maranhão", informou o secretário.

Carlos Lula, Secretário de Estado da Saúde (SES). (Foto: Adriano Soares / Imirante.com)

Leia o relatório completo do inquérito sorológico aqui.

Coronavírus no Maranhão

O último boletim epidemiológico da SES, divulgado na noite dessa segunda-feira (24), mostra que o Maranhão tem 3.365 mortes e 144.895 casos confirmados do novo coronavírus. Ainda segundo a SES, a taxa de letalidade da Covid-19 no Maranhão, por sua vez, permanece em 2,32%.

A SES revelou, também, que 133.466 pessoas estão curadas do novo coronavírus no Maranhão. De acordo com a SES, 744 pacientes se recuperaram da Covid-19 nas últimas 24 horas no Estado e receberam alta, atendendo a uma orientação do Ministério da Saúde.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.