Caso Diogo Costa

Polícia faz reconstituição do assassinato do publicitário Diogo Costa

O crime foi registrado no dia 16 de junho, na região da Lagoa da Jansen.
Imirante.com, com informações de O Estado MA29/06/2020 às 11h42
Reconstituição do crime ocorre nesta manhã. Foto: Paulo Soares/O Estado.

SÃO LUÍS - A reconstituição do assassinato do publicitário Diogo Costa está sendo feita na manhã desta segunda-feira (29), na rua Frei Antônio, na Ponta d'Areia.

O trabalho, que objetiva entender a dinâmica do crime, conta a participação de equipe do Instituto de Criminalística (Icrim) e da Superintendência de Homicídios da capital. Parentes da vítima também acompanham a reconstituição.

O suspeito contou, em depoimento, que ele e dois homens estavam indo praticar crimes. Foto: Paulo Soares/O Estado.
Segundo o depoimento de Raimundo Diniz, ele estava com mais dois homens no carro clonado. Foto: Paulo Soares/O Estado.

Leia mais:

Homem suspeito de ter matado Diogo Costa se apresenta à polícia

Publicitário é assassinado a tiros na Lagoa da Jansen, em São Luís

Polícia Civil emite nota sobre investigação do caso Diogo Costa

Na última sexta-feira (26), por volta das 7h30 da manhã, Raimundo Cláudio Diniz, de 43 anos, se apresentou, ao lado de seu advogado, na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), alegando ter sido o responsável pela morte do publicitário Diogo Adriano Costa Campos. O crime foi registrado no dia 16 de junho, na região da Lagoa da Jansen, em São Luís.

Segundo o depoimento de Raimundo Diniz, ele estava com mais dois homens no carro clonado, que teria sido roubado três dias antes do crime no bairro do Calhau, em São Luís. O suspeito contou que eles estavam indo praticar crimes, quando houve a briga de trânsito após o veículo na qual eles estavam quase se chocar o de Diogo Costa.

Raimundo Cláudio Diniz (à esquerda) confessou ter matado o publicitário Diogo Costa (à direita). Foto: Reprodução.\

Ainda de acordo com o depoimento de Raimundo Diniz, durante a discussão ele atirou com um revólver calibre 38 no pescoço do publicitário, que morreu na hora. O suspeito ainda disse à polícia que a arma usada no crime não é dele e que ele não participou do roubo do carro dias antes e nem da adulteração da placa, mas tinha conhecimento dos crimes anteriores.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.