Falso sequestro

Mãe e filha são presas suspeitas de simular sequestro

Investigações apontam que elas pretendiam atingir o pai da jovem.
Imirante.com, com informações da Assessoria26/01/2018 às 08h58
Mãe e filha são presas suspeitas de simular sequestroAna Tércia Macedo de Abreu e Letícia de Abreu Ferreira. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Mãe e filha foram presas suspeitas de forjar um sequestro. A história inventada por elas começou na quarta-feira (24), e a polícia conseguiu descobrir na madrugada desta sexta-feira (26) toda a armação.

Tudo começou quando a mãe, Ana Tércia Macedo de Abreu, de 41 anos, ligou para a polícia dizendo que a filha, Letícia de Abreu Ferreira, de 19 anos, havia sido sequestrada.

A equipe da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) iniciou, então, as investigações para tentar descobrir o local do cativeiro, resgatar a vítima e prender o autor do crime.

No entanto, após diligências a Polícia Civil localizou o imóvel do falso cativeiro situado no Bairro de Fátima. Uma foto da vítima amarrada e amordaçada chegou a ser divulgada nas redes sociais por ela própria. Segundo informações policiais, as duas tentavam atingir o pai da jovem e ex-companheiro de Ana Tércia, Carlos Ronaldo Sales Ferreira.

Um dia antes da divulgação do falso sequestro, Carlos Ronaldo foi vítima de uma tentativa de homicídio, quando foi alvejado por três disparos de arma de fogo realizados por indivíduos que estavam em um veículo Celta branco. As investigações apontam Ana Tércia como a principal suspeita do crime por não aceitar a separação.

Mãe e filha foram autuadas em flagrante pelos crimes de falso testemunho e comunicação falsa de crime e encaminhadas ao Centro de Triagem de Observação Criminológica de São Luís.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.