Reajuste de tarifa

Vereador condena debate sobre aumento de passagem de ônibus em SLZ

Segundo o parlamentar, os usuários ludovicenses vivem incoerência com transporte caro, mas de péssima qualidade

Gilberto Léda da editoria de Política

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
(ônibus mp)

SÃO LUÍS - O vereador Aldir Júnior (PL), membro da Comissão de Mobilidade Urbana, Regulação Fundiária e Ocupação do Solo Urbano, afirmou ontem, 18, que o colegiado ainda não tem uma data para discutir a anunciada greve do sistema de transporte público dos rodoviários - marcada para o dia 21 de outubro, por tempo indeterminado.

Segundo o parlamentar, os usuários ludovicenses vivem incoerência com transporte caro, mas de péssima qualidade. Ele destacou que o momento não é de se debater aumento dos preços das passagens, mas a melhria da qualidade do transporte na capital.

“Será mesmo aceitável pagar uma das mais caras tarifas de ônibus do país tendo em contrapartida um serviço público em péssimas condições? Nas ruas, os usuários, com toda a certeza, responderiam a esta questão de forma negativa, afinal são eles que diariamente enfrentam a dura jornada de se locomover pelo modal pelas principais avenidas da capital maranhense”, declarou.

A Câmara Municipal de São Luís deve discutir o assunto em audiência.

“Sempre que acontece um indicativo de greve se discute muito sobre o valor da tarifa e muito pouco sobre qualidade do serviço, essa discussão deve acontecer atrelada, e não se trata da sobrevivência do prestador de serviço, muito mais do que isso, precisa ser discutida a qualidade e a sobrevivência do trabalhador. Acho errado o trabalhador pagar uma tarifa cara de ônibus tendo em contrapartida um serviço público em péssimas condições”, concluiu.

Greve dos rodoviários

Em Assembleia Geral realizada nesta quarta, em dois turnos (às 09h e às 16h), trabalhadores do transporte urbano e semiurbano, se reuniram na sede do Sindicato dos Rodoviários, para discutirem sobre as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho.

Os rodoviários pedem, entre outros itens, 13% de reajuste salarial; jornada de trabalho de seis horas, ticket alimentação no valor de R$ 800,00; manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente e a concessão do auxílio creche, para trabalhadores com filhos pequenos. Rodoviários e empresários já se encontraram em duas rodadas, mas em nenhuma delas houve avanço.

Diante da falta de entendimento, os Rodoviários decidiram pela deflagração da greve no sistema de transporte público na grande São Luís, a partir do dia 21 de outubro, por tempo indeterminado.

Os empresários afirmam que não têm como atender a todas as demandas dos trabalhadores e ainda defendem um aumento do valor da passagem dos atuais R$ 3,70R$ 4,80.

Em postagem nas redes, na semana passada, o prefeito da capital, Edurado Braide (Podemos), garantiu que não haverá reajuste. "Não terá aumento de passagem de ônibus em São Luís! O momento é de melhorarmos a qualidade dos serviços. Pra isso estamos trabalhando todos os dias" declarou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.