Manifestação

Estudantes fazem protesto em São Luís contra o aumento de passagens

Participaram universitários e estudantes secundaristas, de instituições públicas e privadas; devido à caminhada, engarrafamento se formou no Centro

Nelson Melo

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h21
Com cartazes, estudantes fazem protesto contra o reajuste de passagens do transporte público na capital
Com cartazes, estudantes fazem protesto contra o reajuste de passagens do transporte público na capital (Protesto de estudantes contra aumento de passagem)

Na tarde dessa terça-feira, 18, por volta das 16h30, estudantes universitários e secundaristas fizeram um protesto no Centro de São Luís contra o reajuste do preço das passagens de ônibus na capital maranhense, que ocorreu logo após o cancelamento da greve dos rodoviários, na semana passada. Vários movimentos estudantis participaram da manifestação, que foi marcada por uma caminhada pelas ruas e avenidas da região. Eles também pediram reformas nos terminais de integração, devido às condições precárias dos serviços oferecidos.

O grupo se concentrou na Praça Deodoro, com faixas e cartazes que mostravam o teor dos protestos. Participaram pessoas de instituições públicas e privadas. Segundo Maxsuel Silva, um dos diretores do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), a mobilização foi realizada nas redes sociais, logo após o anúncio do reajuste das passagens, que ocorreu no último dia 14 de fevereiro. “É uma insatisfação que não é de uma entidade específica. Na verdade, é do povo. Esse aumento é muito abusivo”, frisou ele.

Ele contou que, durante a semana, outras manifestações serão realizadas pelos movimentos, como uma no próximo dia 21, em local e horário que ainda serão definidos. A luta, segundo ele destacou, é em prol da coletividade. Por este motivo, qualquer pedestre que se sentisse lesado pelo aumento poderia participar do protesto.

“A gente vai se reunindo e traçando outras estratégias. A gente quer a revogação desse aumento. Nós fizemos a movimentação durante o fim de semana. E fizemos o convite. As pessoas demonstraram interesse em se juntar”, comentou o diretor do DCE/UFMA.

Insatisfação geral

Nilton Júnior, estudante de Geografia, disse que o objetivo da manifestação é a reformulação da concessão, que, como se expressou, foi assinada sem a participação popular. Ele destacou que as periferias continuam tendo ônibus precários, o que afeta todas as pessoas.

“O movimento é independente. É uma revolta da população contra atos do poder público. Trabalhadores, estudantes, universitários, todos foram atingidos por esse descaso”, disse o acadêmico da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

A estudante de Medicina Veterinária, Karen Costa, declarou que soube da manifestação pelas redes sociais, quando houve a convocação dos estudantes para os protestos contra o aumento do preço das passagens. “É uma luta justa, contra uma decisão que não levou em consideração a realidade do pobre, da pessoa que sobrevive na periferia”, pontuou a jovem.

O protesto

O protesto começou na Avenida Silva Maia, no Complexo Deodoro. O grupo seguiu um carro de som. Os manifestantes fizeram algumas paradas durante o percurso, o que causou um engarrafamento no Centro de São Luís. Da Rua Rio Branco, os estudantes desceram em direção à Praça Maria Aragão, até se aproximarem da Ponte do São Francisco. Os manifestantes seguiram rumo à Câmara de Vereadores da capital maranhense.

Para esta quarta-feira, 19, outra manifestação estava programada. A concentração ocorrerá na Praça do Pescador, na Av. Litorânea, por volta das 7h30. Os estudantes, novamente, pretendem parar na Câmara Municipal, para cobrar dos vereadores uma intervenção no que se refere ao aumento do preço das passagens.

Nota da SMTT

Em nota, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) disse que os valores das tarifas de ônibus do transporte urbano da capital foram reajustados em conformidade com a necessidade de manutenção do equilíbrio do sistema que opera o serviço de coletivos em São Luís. Com o reajuste, a passagem das linhas não integradas passou de R$ 2,95 para R$ 3,20, enquanto a das linhas integradas passou de R$ 3,40 para R$ 3,70.

“A SMTT informa que as recargas realizadas antes do reajuste tarifário nos Cartões Estudantis, de Vale Transporte e do Bilhete Único terão validade até 16/03/2020. O Sistema de Transporte Urbano da capital é composto por 174 linhas, sendo 149 integradas e 25 não integradas, que atendem cerca de 550 mil usuários/dia”, frisou o órgão.

Posicionamento dos rodoviários

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (Sttrema), por sua vez, disse que o reajuste das passagens no começo de todo ano é uma das cláusulas que está contida na licitação do transporte público. A entidade ressaltou que não pode ser responsabilizada pela decisão acerca do aumento dos preços das tarifas dos coletivos que circulam em São Luís.

Fique por Dentro
Cancelamento da greve

Como resultado da reunião entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), na sexta-feira, 14, a greve dos motoristas e cobradores foi suspensa. O Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT/MA) intermediou a negociação, por meio do desembargador José Evandro de Souza. Ficou acordado um reajuste salarial de 5%, além de outros detalhes.

A audiência de conciliação ocorreu na sede do TRT/MA, em São Luís, após ter sido antecipada, pois estava marcada para o início desta semana. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, foram mais de três horas de discussões. Três propostas foram lançadas no decorrer da reunião, mas não foram aceitas pelos trabalhadores. Mesmo com os ânimos exaltados, as partes chegaram a um consenso, depois da intervenção do desembargador José Evandro.

O acordo

Pelo acordo proposto pelo Tribunal Regional do Trabalho, ficou estabelecido um reajuste salarial de 5%, mesma porcentagem para o valor do ticket alimentação, para todas as funções. Ficou mantido o plano de saúde e o pagamento de R$ 156 no ticket alimentação somente para o motorista que também exerce a função de cobrador. Com os termos apresentados, o Sindicato dos Rodoviários aceitou o que havia sido definido pelo TRT/MA na audiência de conciliação.

“Desta forma, a entidade se comprometeu com o Tribunal a suspender a paralisação no transporte público de São Luís, que já estava prevista para ser deflagrada a partir de segunda-feira”, declarou Isaías Castelo Branco, presidente do Sttrema. O acordo foi homologado pelo desembargador, que é vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região. Importante destacar que, no caso do motorista, somente receberá os R$ 6 diários quando estiverem atuando simultaneamente como cobradores, pois há momentos em que exercem apenas uma função.

Pelas cláusulas do acordo, apenas o reajuste de 5% sobre os salários retroagirá aos meses de janeiro e fevereiro de 2020. O sindicato patronal também se comprometeu a manter o plano de saúde nos moldes anteriores, ou seja, exclusivamente para o empregado titular.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.