Covid-19

SES também confirma continuidade de vacinação de adolescentes no MA

Secretário Carlos Lula afirmou que mudança somente ocorrerá no estado se a Anvisa assim recomendar; Agência emitiu nota ontem se manifestando a favor da continuidade na vacinação de público

Ronaldo Rocha da editoria de Política

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
(Vacinação)

SÃO LUÍS - Depois de a Prefeitura de São Luís ter confirmado a continuidade na vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos contra a Covid-19, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES) também assegurou a manutenção deste público-alvo no processo de imunização em todo território estadual.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, explicou que somente ocorrerá mudança no estado em relação à vacinação de adolescentes, caso haja determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Anvisa, por sua vez, já se manifestou favorável à manutenção do público-alvo, contrariando assim a determinação do Ministério da Saúde.

Leia também: Anvisa não recomenda suspender vacinação de adolescentes no país

Capital maranhense seguirá vacinando adolescentes de 12 a 17 anos de idade

"O Maranhão mantém a vacinação do público adolescente co e sem comorbidade, de 12 a 17 anos, enquanto aguarda manifestação oficial da Anvisa, que autorizou a vacinação deste grupo no mês de junho. Deste modo, não há suspensão nem alteração da vacinação dos adolescentes no estado, neste momento", destaca trecho da nota publicada por Carlos Lula e pela SES.

Revisão

Na última quinta-feira o Ministério da Saúde revisou a recomendação de vacinação de adolescentes contra a covid-19. Em nota técnica publicada pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, a pasta passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

O ministério citou, dentre outros argumentos para revisar a recomendação, o fato de que os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos e que a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomendando a imunização de adolescentes com ou sem comorbidades.

A OMS, entretanto, não chegou a afirmar que a imunização de adolescentes não deveria ser realizada.

O público adolescente é vacinado no Brasil com o imunizante Pfizer.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.