Estado Maior

Adiantou demais?

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15

O Ministério da Saúde decidiu recuar de recomendação para aplicação da vacina Pfizer em adolescentes sem comorbidade. Em entrevista coletiva, o ministro Marcelo Queiroga criticou os secretários de saúde que anteciparam a vacinação dos jovens antes da data prevista, que foi dia 15 de setembro, ou seja, há dois dias.

Estranhezas à parte, em relação à decisão do Ministério da Saúde sobre a vacinação dos adolescentes - já que a Organização Mundial de Saúde recomenda a imunização de jovens de 12 a 17 anos por serem eles um vetor em potencial do vírus - a corrida pela protagonização da vacina no estado fez com que cidades maranhenses adiantassem em mais de duas semanas a aplicação de doses do imunizante nos adolescentes.

São Luís foi uma destas cidades que, ainda em julho, iniciou a vacinação de jovens de 17 anos. E nos dias seguintes, chamou para vacinar todas as faixas etárias de adolescentes.

Um dos argumentos do Ministério da Saúde é a suspeita de reações adversas e também a afirmação de que os adolescentes não costumam evoluir para casos graves da doença.

Ao que parece, na verdade, é que pode haver um problema de disponibilidade de imunizantes contra a Covid-19. Diante disso, cidades como a capital maranhense pode ter cometido um erro pela precipitação de adiantar em mais de dois meses, de acordo com a data prevista pelo Ministério da Saúde, a aplicação de vacina em adolescentes.

Agora, pelo que se desenha, São Luís e outras cidades que já aplicaram a primeira dose nos jovens sem comorbidades precisarão colocar o pé no freio e buscar meios para garantir a segunda dose, claro, dentro do que prevê a ciência, ou seja, sem riscos para os adolescentes.

Em nota
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) disse que 100% dos adolescentes cadastrados na plataforma de vacinação de São Luís receberam a primeira dose.

Ainda segundo a Semus, a gestão municipal lembra que a OMS afirma que para garantir imunização é preciso as duas doses.

E, por isso, a secretaria busca diálogo com o Ministério da Saúde para garantir a aplicação da segunda dose da Pfizer para os adolescentes.

Vacinação continua
Em contato com a coluna, o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes, disse que São Luís vai manter a vacinação dos adolescentes.

Ou seja, o gestor garante que a segunda dose do imunizante será aplicada nos mais de 98,7 mil jovens de 12 a 17 anos que receberam a primeira dose.

Ainda segundo Joel Nunes, a Semus segue decisão da Comissão Bipartite que fechou questão sobre o assunto.

Fake news
O governador Flávio Dino (PSB) usou as redes sociais para afirmar que, mais uma vez, foi vítima de fake news no Maranhão.

O que o socialista se refere é uma “informação” de que ele autorizou novo aumento de combustível no estado.

Sobre ser falsa a tal “informação”, Dino tem razão. O governo estadual não tem como determinar aumento de combustível. A questão é nacional.

Criminosos
A fake news, que tenta passar a ideia de que o governador autorizou novo aumento, foi tratada por Dino como ato de criminoso.

“Criminosos estão espalhando que eu autorizei aumento de alíquota de imposto sobre gasolina no Maranhão. Isto é mentira. Coisa de bandido”, escreveu Flávio Dino.

O reajuste, na verdade, diz respeito à base de cálculo do ICMS e isto é decidido pelo conjunto de secretários de Fazenda do Brasil. Não é um ato individual do gestor estadual.

Debate
O Ministério Público Estadual (MP) mantém debate sobre o retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino de São Luís.

O promotor da área, Paulo Avelar, voltou a reunir com os secretários Marcos Moura (Educação) e David Col Debella (Obras) para tratar sobre as ações a serem feitas para garantir os alunos de novo nas salas de aula.

De acordo com Paulo Avelar, o município apresentou uma proposta de requalificação das escolas, na perspectiva de intervenções em um prazo exequível, consideradas prioritárias para um retorno mais breve às aulas presenciais.

DE OLHO

98 mil adolescentes de 12 a 17 anos receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em São Luís.

Prazo
O promotor não falou qual o prazo exequível e nem quais as demandas a serem atendidas pela Prefeitura de São Luís nas escolas da rede municipal.

De acordo com Avelar, é importante garantir uma estrutura melhor para o retorno dos alunos às salas de aula.

“O caminho ideal é garantir o mínimo de qualidade e de segurança aos nossos alunos para agilizar o regresso presencial”, disse o promotor.

E MAIS

• O deputado federal e presidente do PL no Maranhão, Josimar de Maranhãozinho, se reuniu ontem com o senador Roberto Rocha (sem partido).

• Em pauta, a possível composição de uma chapa majoritária para as eleições de 2022. A ideia é ter Josimar como cabeça da chapa e Rocha concorrendo à reeleição ao Senado. Da primeira conversa, ainda não houve qualquer batida de martelo. O diálogo está no início.

• Com carros de som, o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, tem anunciado o evento considerado como lançamento da pré-candidatura de Weverton Rocha (PDT) ao governo estadual.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.