DOM | Alimentação saudável

Como a nutrição ortomolecular pode ajudar na saúde mental?

Casos de depressão, ansiedade e estresse dobraram durante a pandemia
28/02/2021 às 06h53
Como a nutrição ortomolecular pode ajudar na saúde mental?Na ausência de minerais, fica aberta a porta para ansiedade e outras doenças (Divulgação)

São Luís - Já ouviu aquela frase “respire e conte até 10!”? Pois é preciso respirar fundo e contar até 10 diante da mudança brusca de rotina que a pandemia causou na vida dos brasileiros. E parece que os nervos estão à flor da pele, o impacto na saúde mental da população foi visível. Segundo pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), os casos de depressão quase dobraram e os de ansiedade e estresse tiveram um aumento de 80%.

No Maranhão, a venda de antidepressivos cresceu 27%, de acordo com um relatório do Conselho Nacional de Farmácias. A venda de medicamentos controlados no estado superou a média nacional, que foi de 17% em 2020. Diante deste contexto, respirar fundo não é a principal alternativa, é preciso cuidar da saúde. Para ajudar na prevenção dessas doenças, a Nutrição Ortomolecular, junto com a Naturopatia, é uma maneira inovadora de cuidar do organismo humano, como explica a nutricionista funcional, ortomolecular e médica naturopata, Isis Vidal.

“A nutrição Ortomolecular é primordial para tratar o indivíduo e não os sintomas. A primeira coisa observada é a tendência para determinadas morfologias e os apontamentos de desequilíbrios”, detalha.

Segundo a especialista na nutrição ortomolecular, a doença resulta de duas causas: quando ocorre a diminuição da autodefesa (em geral) e quando há um ataque ou uma agressão contra certos órgãos. “E o melhor caminho para se prevenir é tornar o terreno impróprio para a instauração da doença, ou seja, auxiliar e proporcionar condições para que o corpo recupere a sua defesa”, pontua. Vidal destaca que “se o organismo contrai determinada doença é porque já não estava bem, senão a doença não teria se instalado”, reforça.⠀

Como o foco é na pessoa e não nos sintomas, é feita uma pesquisa minuciosa com o paciente, para saber quais são suas carências minerais e, por meio de técnicas, há a reposição, o que vai nutrir as deficiências do paciente, para a recuperação do seu bem-estar.⠀

Isis Vidal conta que na ausência de minerais, fica aberta a porta para ansiedade, nervosismo, estresse, depressão, entre outras disfunções que podem evoluir para graves estados patológicos. “Esta ausência proporciona também sintomas desconfortáveis ao organismo, os quais não são detectáveis em exames convencionais, mas a pessoa sente que há algo que está em desarmonia”, avalia.

Ela destaca a importância de cuidar das emoções e como influenciam na saúde física e mental. ”Se nos vemos afundados em estresse, raiva, exaustão, tristeza profunda e desespero. Permanecemos nessa situação por um tempo, logo notamos que essas emoções e pensamentos negativos começam a afetar o nosso corpo por inteiro e se manifestam por meio de dores, incômodos, enjoos, entre outros. Não espere adoecer para prestar atenção na sua saúde”, alerta.

A nutrição ortomolecular vai resgatar o equilíbrio integral do ser humano de forma natural, trazendo de volta a saúde física, mental, energética e emocional antes que se tenha uma patologia instalada. “É fenomenal, e esse processo é um cuidado contínuo”, analisa Vidal.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte