Cidades | Imperatriz

Conselho Tutelar área I fez 535 atendimentos a crianças e adolescentes em situação de risco

Dados são de janeiro até setembro, quando órgão divulga os serviços prestados, bem como as ações e denúncias
27/10/2020 às 15h30
Conselho Tutelar área I fez 535 atendimentos a crianças e adolescentes em situação de riscoDenúncias podem ser feitas presencialmente, pelo disque 100, telefone, e-mail ou rede sociais (Instagram e WhatsApp) (Divulgação)

Imperatriz - O Conselho Tutelar de Imperatriz - Área I divulgou o balanço das ações realizadas de janeiro até setembro de 2020. De acordo com os dados, foram realizados 535 atendimentos, 427 denúncias, 750 expedições de ofícios, 02 visitas ao lixão de Imperatriz solicitadas pelo Ministério Público.

Além disso, foram realizadas reuniões e visitas aos órgãos da Rede de Garantia de Direitos à Criança e ao Adolescente. Sendo produzidas também requisições de certidões de nascimento, de histórico e matrícula escolar, e inúmeros atendimentos por telefone e por meio do aplicativo Whatsapp.

Os conselheiros tutelares ressaltam ainda que no período de pandemia, o órgão continuou com suas atividades normalmente.

“Tivemos meses rigorosos de isolamento social, por conta da pandemia, entretanto os serviços prestados pelo Conselho Tutelar I e II não pararam. Buscamos alternativas, em alguns casos fomos até o local e recebemos denúncias. Nossa equipe estava de prontidão e preparada para ajudar e efetivar o direito da criança e do adolescente em Imperatriz” - ressaltou o conselheiro Laédson Brito.

O relatório mostra também que os cinco bairros que mais receberam denúncias foram o Bacuri com 59; Nova Imperatriz com 48; Santa Rita com 38; São José com 32 e Centro com 31 denúncias.

Além disso, os tipos de denúncias mais frequentes foram por negligência com 130 denúncias, agressões e maus-tratos com 98 denúncias; outros 65; conflito familiar 48; abuso sexual 41; vulnerabilidade e risco 38 e abandono de incapaz com 22 denúncias.

Os conselheiros destacam também o recebimento de denúncias por meio das redes de enfrentamento que ajudam e colaboram para que os direitos da criança e do adolescente sejam efetivados.

“Temos a parceria com o Hospital Municipal Infantil de Imperatriz – Socorrinho; o Hospital Municipal de Imperatriz – HMI/ Socorrão; Unidades Básica de Saúde Centro de Referência de Assistência Social, CRAS; Centro de Referência Especializado de Assistência Social, Creas; escolas que mesmo em meio à pandemia contribuíram; Conselho Tutelar de cidades vizinhas e do Brasil inteiro, entre outros”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte