Restauro

Iphan conclui obras de recuperação de ruínas em Alcântara

Serviços incluíram recuperação do Palácio do Negro, Sobrado do Barão do Pindaré, Claustro do Convento do Carmo, entre outros imóveis

Evandro Júnior / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Ruinas foram limpas de vegetações que cresciam em suas entranhas e cuidadas, além da remoção de entulho
Ruinas foram limpas de vegetações que cresciam em suas entranhas e cuidadas, além da remoção de entulho

São Luís - O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Maranhão (Iphan-MA) concluiu as obras de recuperação e consolidação de ruínas integrantes do conjunto arquitetônico e urbanístico da cidade histórica de Alcântara. As obras foram focadas nas ruínas do Palácio do Negro, Sobrado do Barão do Pindaré, Claustro do Convento do Carmo e Casa à Rua da Amargura. O órgão também incluiu o imóvel sede do escritório técnico do Iphan naquele município.

Segundo o superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, o trabalho rotineiro de fiscalização identificou o crescimento de vegetação nas entranhas dos maciços de pedra das ruínas, com consequente desagregação e expulsão dos materiais, além da fragilização dos mesmos, decorrente do tempo de existência.

“Para manter as ruínas, nós limpamos o terreno, erradicamos a vegetação por processo mecânico e químico, removemos entulho, limpamos os maciços de pedra e escoramentos e fizemos a reconstituição parcial das alvenarias. Além disso, fizemos embrechamento, respaldo do topo dos maciços e a limpeza de elementos integrados constituídos de pedra Lioz”, detalhou Maurício Itapary, informando que foram gastos R$192.664,55.

Escritório
O Iphan também realizou obras no imóvel que abriga seu escritório técnico em Alcântara, uma casa térrea com mirante e porão habitável e cuja entrada principal é pela Rua das Mercês e tem acesso independente ao pavimento inferior pela Rua de Baixo. A edificação precisava de reparos e serviços de manutenção para garantir o bom funcionamento dos ambientes de trabalho. Foram executados serviços gerais de pintura das paredes internas e externas, esquadrias e forros, além dos acabamentos dos pisos.

A intervenção proposta no imóvel contemplou os serviços de reforma dos banheiros com substituição dos revestimentos, louças e metais, além da revisão das instalações hidrossanitárias, reparos de reboco deteriorado interno e das fachadas externas, revisão da cobertura, serviços de imunização, reparos em esquadrias, piso e forro de madeiras. “Nós fizemos, ainda, a revisão das instalações elétricas, de climatização, telefônicas e de lógica. Foram gastos R$ 145.736,48”, informou Maurício Itapary, enfatizando que a casa abriga as atividades diárias da nossa equipe.

O Conjunto Arquitetônico e Urbanístico da cidade de Alcântara é protegido por tombamento pelo Governo Federal. Conforme rege a Constituição, é dever da União, Estado, município e da sociedade civil organizada a proteção do patrimônio cultural. “Com as obras realizadas e concluídas, o Iphan cumpre sua destinação como órgão de preservação dos bens acautelados em âmbito federal, promovendo serviços de conservação desse patrimônio cultural edificado, por meio da aplicação de recursos financeiros previstos para esse fim em seu plano de ação anual”, finalizou o superintendente.

Escritório técnico do Iphan, em Alcântara foi reformado; imóvel é térreo, com mirante e possui porão habitável
Escritório técnico do Iphan, em Alcântara foi reformado; imóvel é térreo, com mirante e possui porão habitável

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.