Política | Eleições 2020

Direção municipal do PT adia encontro do partido em SL

A pedido da direção nacional, o presidente municipal petista da capital, Honorato Fernandes, decidiu adiar o encontro de definição de estratégias do partido; nova data deverá ser dias 8 e 9 de agosto
Carla Lima/Editora de Política01/08/2020 às 09h50
Direção municipal do PT adia encontro do partido em SLMais uma vez, o encontro do PT de São Luís foi adiado pela direção municipal da legenda (Divulgação)

São Luís - No fim da noite da sexta-feira, 31, a direção municipal Partido dos Trabalhadores (PT) em São Luís, a pedido da presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, decidiu adiar o encontro municipal da legenda que definiria a estratégia eleitoral para as eleições de 2020. O adiamento, segundo apurou O Estado, se deve a situação de aliança do PT com o PCdoB em outras cidades como Fortaleza e Rio de Janeiro. A nova data do encontro deverá ser dias 8 e 9 deste mês.

O encontro municipal do PT estava marcado para acontecer neste sábado, 1, e no domingo, 2. Durante os dois dias, os petistas escolheriam as teses propostas: a primeira é a de candidatura própria e a segunda, aliança com outro partido que tenha candidato a prefeito da capital. Sobre a aliança, o movimento local e também da direção nacional é para coligar com o PCdoB que tem Rubens Júnior como pré-candidato à Prefeitura de São Luís.

Em reunião da direção nacional na noite da sexta-feira, 31, membros do PT do Maranhão solicitaram a suspensão do encontro. Por meio de resolução, petistas como o deputado estadual Zé Inácio e também o ex-secretário de Esportes Márcio Jardim, tentaram deixar a decisão sobre os rumos do PT em São Luís para a direção nacional.

A presidente da legenda, Gleisi Hoffmann negou e solicitou ao presidente municipal do PT em São Luís, Honorato Fernandes, o adiamento do encontro para que haja tempo de findar as negociações com a direção nacional do PCdoB em outras cidades.

A intenção de Zé Inácio para suspender o encontro de estratégias do PT é garantir um debate na nacional para sua tese de candidatura própria. Já Márcio Jardim que evitar que o PT se coligue com o PCdoB em São Luís. Desta forma, Jardim seguiria participando do jogo político do senador Weverton Rocha (PDT) - que apoia a candidatura de Neto Evangelista (DEM) a prefeito da capital -, que não quer a coligação que favorecerá Rubens Júnior.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte