Conscientização

TV Mirante alerta para aumento de focos de queimadas no MA

Comercial veiculado diariamente na emissora chama atenção para a gravidade do problema e orienta a população em caso de incidentes

Evandro Júnior / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Corpo de Bombeiros iniciou operação para minimizar o alto número de ocorrências de queimadas que assola a capital e o interior do estado
Corpo de Bombeiros iniciou operação para minimizar o alto número de ocorrências de queimadas que assola a capital e o interior do estado (queimadas)

São Luís - A TV Mirante está fazendo um alerta, em sua programação diária, para a questão das queimadas neste período do ano e que causam sérios prejuízos à fauna e à flora, reduzindo a vegetação, diminuindo a fertilidade do solo e comprometendo a qualidade do ar, além de provocar vários tipos de doenças à saúde humana. Pelo menos 2.276 focos de queimadas foram registrados no Maranhão este ano, até agora.

Um comercial veiculado em várias inserções na programação da TV Mirante chama a atenção dos telespectadores para o fato de que a incidência é maior neste período, fato que se deve, também, às ações do homem, que ainda faz uso do fogo em suas diversas atividades no campo ou, em sua maioria, de forma criminosa e intencional.

Além disso, o problema está atrelado às condições climáticas locais, tais como o vento forte, a baixa umidade e as temperaturas elevadas que se sobressaem no mês de julho. “São fatores que, juntos, tornam-se condição para o fogo se espalhar e sair do controle. É um alerta que damos todos os anos, principalmente no mês de julho, quando o sol está bastante forte e o vento também, desencadeando focos de queimadas”, disse Viviane de Paula, diretora de programação da Rede Mirante.

Segundo Viviane de Paula, o comercial foi pensado para orientar a população a tomar cuidado e saber como agir caso presencie incidentes dessa natureza. “Ou seja, ligando, imediatamente, para o Corpo de Bombeiros, cujo número é 193”, informou.

Crime
Segundo o coronel Célio Roberto, comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), provocar queimadas é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais (Art. 41), com pena de dois a quatro anos de reclusão e multa. “Nós estamos desenvolvendo a operação ‘Maranhão sem Queimadas’, que inclui um vídeo de sensibilização e dicas para a população”, afirmou o coronel, orientando a população a não colocar fogo em lixo, não soltar balões, manter terrenos limpos e não jogar pontos de cigarros nas margens de rodovias.

O coronel informou que, neste mês de julho, o Corpo de Bombeiros iniciou a operação para minimizar o alto número de ocorrências de queimadas que assola não somente a capital, como também o interior de maneira geral. Várias plataformas de mídias sociais estão sendo utilizadas, apresentando dicas, informando as ocorrências em tempo real, como forma de chamar a atenção da sociedade para os perigos de utilizar o fogo de maneira negligente.

Da mesma forma, a corporação ministra palestras e treinamentos para a comunidade, além distribuição de panfletos em postos estratégicos. “Vale destacar que no ano de 2020, o Corpo de Bombeiros já foi acionado mais de 430 vezes para combater ocorrências de queimadas. Além de destruir a vegetação, todo o ecossistema do local é prejudicado. Logo, é importante a conscientização de toda a população neste período crítico de altas temperaturas e vegetação seca que estamos adentrando”, explicou o coronel.

Segundo relatório do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, as cidades maranhenses com o maior número de focos de queimadas, atualmente, são Mirador, Tutóia e Fernando Falcão. As fiscalizações dessa natureza são realizadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, além do Batalhão Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros, Prefeituras, Ibama e Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca, entre outros órgãos.

Entre 20 de março e 1º de julho, a Amazônia maranhense teve 40 focos de queimadas registrados em 2019, enquanto neste ano foram 110 focos, no mesmo período. A maioria dos focos de incêndio em 2020 está na região sul do estado, onde predomina o setor agropecuário. Durante a o período crítico da pandemia do novo coronavírus, o maior número de focos foi registrado no município de Balsas (151), seguido de Mirador (128), Grajaú (76), Fernando Falcão (76), Riachão (62), Alto Parnaíba (61), Carolina (56), São Raimundo da Mangabeiras (28), Tutoia (25) e Tasso Fragoso (23).

SAIBA MAIS

Dicas para evitar queimadas

  • Evite jogar bitucas de cigarro no chão
  • O ideal é que você pare de fumar, mas, se continuar, evite jogar bitucas de cigarro acesas no chão. Procure locais específicos de descarte do resto de cigarro, como coletores espalhados pela cidade. Ou simplesmente jogue-os apagados em uma lata de lixo, mas nunca no chão muito menos próximo a grama ou vegetação de qualquer tipo a fim de evitar o início de um incêndio.
  • Não solte balões
  • Soltar balões é crime previsto no Art. 42 da Lei de Crimes Ambientais. A pena para quem comete esse crime é de um a três anos de detenção, além disso há uma multa. Ela pode ainda ser acumulativa em caso de reincidência. Balões são um dos principais motivos para enormes incêndios florestais, e põem em risco a vida de centenas de pessoas se caírem em áreas urbanas, onde podem interromper até mesmo o fornecimento de energia elétrica por danificarem fios. Evitar balões é uma das principais formas de como evitar as queimadas.
  • Não faça fogueiras próximas a vegetação
  • Nesta época do ano, é comum que sejam acesas enormes fogueiras, mas elas são um risco. Principalmente se forem montadas em áreas próximas a vegetação seca e pastagens, o que pode ocasionar em um gigantesco incêndio.
  • Evite queimar móveis ou lixo
  • Para se desfazer de lixo, muitas pessoas preferem queimá-lo a descartá-lo da forma correta com o auxílio de limpeza urbana. Não faça isso. Descarte o lixo de forma correta.
  • Da mesma forma, realize o descarte de latas de alumínio e pedaços de vidro de meios corretos. Esses objetos podem esquentar ou refletir raios em folhas de jornal, por exemplo, e iniciar fagulhas que se transformam em focos de incêndio maiores futuramente.
  • Capine a área perto de sua casa
  • Se você mora em áreas com alta vegetação próxima a sua casa, diminua o risco de queimadas capinando faixas de terra próximas a sua propriedade. O risco de queimadas é maior em propriedades cercadas com vegetação bruta, sem qualquer contenção.
  • Molhe faixas de terra seca
  • Sempre que puder, molhe faixas de terra e grama que estiverem secas próximas de sua residência. Dessa forma, é possível diminuir as chances de alguma faísca começar um incêndio de grandes proporções em áreas urbanas ou de preservação.
O que fazer em caso de queimadas

Em casos de incêndios próximos a residências ou em áreas de vegetação isoladas, o melhor a fazer é chamar os bombeiros através do número 193. Informe a localidade, se possível em detalhes, para que os profissionais cheguem a tempo para conter as chamas. Nunca tente apagá-las você mesmo! Afaste-se imediatamente e espere o auxílio chegar.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.