Contágio

Avanço da Covid-19 no interior leva à decretação de lockdown

Em Timon, Prefeitura decretou bloqueio total durante quatro dias; em Barra do Corda, medidas mais rígidas foram tomadas pelas autoridades para combater o coronavírus

Nelson Melo / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Operação em Timon para evitar aglomeração devido à Covid-19
Operação em Timon para evitar aglomeração devido à Covid-19 (Berreira em Timon)

São Luís - Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na noite de segunda-feira (29), houve 457 novos casos confirmados do novo coronavírus no Maranhão. Deste total, 69 ocorreram na Grande Ilha – São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa -, e 388 aconteceram no interior maranhense. Para além do Estreito dos Mosquitos, o aumento do número de contaminados está preocupando as autoridades e a população. Em Timon, foi decretado lockdown de quatro dias, após duas mortes em 24 horas. Em Barra do Corda, medidas mais rígidas de distanciamento social foram estabelecidas.

O lockdown em Timon foi decretado após o registro de 2.025 casos confirmados de Covid -19 e mais duas mortes em 24 horas, totalizando 64 óbitos na cidade. Conforme a Prefeitura, existe uma preocupação devido à perspectiva de o epicentro do novo coronavírus está se formando nesta região Leste do estado, onde o município está situado. Desse modo, com o objetivo de evitar a ascendência da curva de contaminação, foi instaurado o bloqueio total, medida que já foi adotada na Grande Ilha no mês de maio, entre os dias 5 e 17, depois de uma determinação da Vara de Interesses Difusos e Coletivos.

Conforme o Decreto nº 0157, a Prefeitura de Timon adotou novas estratégias de isolamento social. Assim sendo, na quinta-feira (2), e sexta-feira (3), estão autorizados a funcionar apenas as seguintes atividades e estabelecimentos: mercados, supermercados, hipermercados e congêneres; panificadoras e padarias; borracharias; serviços bancários exclusivamente para pagamento de auxílio-emergencial e benefícios sociais e autoatendimento; casas lotéricas e oficinas, para serviços de manutenção e conserto de veículos. Além de farmácias e drogarias; serviços de saúde; e atividades de distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados de petróleo.

Sem autorização
Também estão autorizados a abrir as portas nesses dois dias os comércios de materiais de construção, ferragens, ferramentas, material elétrico, cimento, tintas, vernizes e materiais para pintura, mármores, granitos e pedras de revestimento, vidros, espelhos e vitrais, madeira e artefatos, materiais hidráulicos, cal, areia, pedra britada, tijolos e telhas. Bem como serviços de transporte de cargas; serviços de segurança e vigilância; serviços de delivery; e órgãos referentes aos profissionais de comunicação.

Já no sábado (4), e domingo (5), podem funcionar farmácias e drogarias; serviços de saúde; serviços de segurança e vigilância; serviços de delivery exclusivamente para alimentação; e a imprensa. Nos quatro dias em que perdurar o lockdown em Timon, os serviços públicos essenciais continuarão suas atividades, mediante o cumprimento do protocolo sanitário para conter a disseminação do novo coronavírus. A fiscalização das medidas determinadas será exercida pela Vigilância Sanitária municipal, em articulação com a Vigilância Sanitária federal e estadual, e com o apoio da Guarda Civil Municipal, do Departamento Municipal de Trânsito (DMTRANS), da Polícia Militar e da Polícia Civil.

Caso necessário, os órgãos envolvidos no monitoramento de que trata o referido decreto deverão solicitar apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Fica determinado à Guarda Civil Municipal, Vigilância Sanitária e demais que reforcem a orientação e a fiscalização, em relação às seguintes proibições: aglomeração de pessoas; circulação em grande número de pedestres em locais públicos; consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos; e direção sob efeito de bebida alcoólica.

Os estabelecimentos, serviços e atividades devem adotar as medidas de controle de acesso e de limitação de pessoas nas áreas internas e externas, de modo a evitar aglomerações e a resguardar a distância mínima de 2 metros, além da exigência do uso de máscaras de proteção facial e da permanente higienização. Além disso, devem cumprir os protocolos, orientações e determinações expedidas pelos órgãos e entidades de saúde federal, estadual e municipal, sujeitando-se, no caso de descumprimento, a aplicação, cumulativamente, das penalidades de multa, interdição total da atividade e cassação de alvará de localização e funcionamento, na forma da legislação vigente.

Operação na cidade
Com o intuito fiscalizar as medidas de isolamento social instauradas em Timon, como a formação de aglomerações, vários órgãos municipais realizaram, recentemente, mais precisamente, no último fim de semana, uma operação na cidade. As equipes envolvidas inibiram a presença de aproximadamente 50 motociclistas, que pretendiam praticar manobras radicais na área do Polo Industrial, em uma das incursões feitas em parceria com a Polícia Militar. Esta intervenção ocorreu durante o sábado, 27.

No domingo, 28, houve a intervenção em uma realização de festival de pipas, que estava programado para ocorrer na manhã daquele dia, na Avenida Piauí, nas proximidades do Residencial Reserva das Flores. No decorrer da operação, foram feitas abordagens, com recolhimento de “papagaios”, carretéis e linhas de cerol. “As atividades praticadas ao ar livre, como a de uso de pipas, caminhadas, passeio de ciclismo, dentre outras, continuam suspensas com o intuito de evitar a proliferação da Covid-19”, afirmou a Prefeitura de Timon.

Medidas rígidas
Já em Barra do Corda, igualmente devido ao aumento de casos confirmados da Covid-19, foram estabelecidas medidas mais rígidas para prevenir o contágio na região. Foram suspensos, durante 14 dias, todos os eventos públicos e particulares, sejam de caráter cultural, religioso ou comemorativo, incluindo aqueles já autorizados. Nesse período, os bares e depósitos só poderão funcionar em sistema de delivery e até as 18h, nos dias úteis. Aos sábados e domingos, deverão ser fechados.

Os comércios considerados não essenciais terão seus horários de atendimento alterados, pois deverão fechar às 17h. Os supermercados e similares ficam proibidos de vender bebida alcoólica a partir das 17h, nas sextas-feiras, sábados e domingos. Em relação aos cultos religiosos, devem ser realizados mediante a obediência a protocolos de prevenção, evitando abraços e contatos físicos, bem com a aglomeração de pessoas. Permanecem fechadas as praças esportivas, clubes, campos de futebol e quadras poliesportivas.

A desobediência às medidas estabelecidas no decreto resultará em infração à Legislação Municipal, o que levará a sanções, como a aplicação de multa no valor de R$ 500, mas essa quantia pode ser elevada para R$ 2 mil. Também existe a possibilidade de suspensão ou cassação do alvará de funcionamento. E consequências judiciais para quem disseminar fake news acerca do novo coronavírus com a finalidade de promoção pessoal.

Morte de servidor
Em Barra do Corda, segundo o mais atual boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura, já são 5.912 casos notificados do novo coronavírus na cidade. Desse total, 2.224 foram confirmados, 1.995 foram descartados e 1.693 continuam sendo investigados, ou seja, enquadrados na categoria dos suspeitos. Por outro lado, 1.131 pessoas se recuperaram da doença no município. No entanto, houve o registro de 12 óbitos.

Dentre as mortes decorrentes da Covid-19 em Barra do Corda, uma teve como vítima o servidor Hallan Jonnes Mota Franco, que tinha 39 anos. Ele era condutor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O profissional faleceu no último sábado, 27, no Hospital Municipal de Presidente Dutra.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.