Campanha

"São João Pela Vida" alerta para risco do uso de fogos no período

Mesmo em tempos de pandemia, voluntários do Projeto Mandacaru convocam artistas, comunicadores e influenciadores para divulgarem a ação

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
(Acidentes com fogos ocorrem com maior frequência nas festas juninas)

SÃO LUÍS - Com a evolução da pandemia de Covid-19, governantes da região Nordeste já proibiram tanto a realização das Festas de São João quanto a venda de fogos de artifício. Mas é importante conquistar a adesão da população, convencer a todos que se divertir em casa é a melhor opção este ano. Por isso, os participantes do Projeto Mandacaru, plataforma de colaboração voluntária, formada por profissionais das mais diversas áreas para promover o enfrentamento à pandemia no Brasil desenvolveu uma campanha da Campanha São João pela Vida, para estimular as pessoas a, solidariamente, dançar o forró na sala dentro de suas casas.

"Ficar em casa e fazer essa festa junina mais comedida e mais familiar é um ato de resistência e de heroísmo que nós todos podemos fazer", diz médico e neurocientista Miguel Nicolelis, no vídeo de lançamento da ação.

Para ajudar na divulgação dessa campanha, esta sendo feita uma mobilização de artistas, jornalistas, profissionais de marketing e veículos de comunicação para engajar toda a população a passar esse São João em casa, sem riscos de queimaduras, nem de contágio pelo vírus. Com as hashtags #SãoJoãoEmCasa #SãoJoaopelaVida #SãoJãoSemFogos, os voluntários querem contribuir para que a população tenha a mesma alegria, criatividade e respeito às tradições nordestinas de todos os anos.

As brincadeiras com balões, fogueiras e fogos de artifício causam queimaduras e a necessidade de atendimento em hospitais. Mas este não é o único risco para quem se ferir e precisar de atendimento médico, há um risco ainda mais grave. Não é hora de ir parar no hospital à toa. A pandemia de Covid-19 exige que evitemos aglomerações para impedir a contaminação pelo coronavírus. Por isso, é preciso engajar a população em formas de festejos dentro de casa, respeitando as demais orientações científicas.

O desafio para governantes, cientistas e população no período da maior festa da região Nordeste, o São João – mesmo nesse período de Covid-19 - é grande. “Sabemos que o povo nordestino valoriza muito as festividades juninas que, para muitos, são até mais importantes que Natal e Ano Novo, mas, este ano, temos que fazer uma celebração junina diferente, uma celebração pela vida", diz o médico e neurocientista Miguel Nicolelis que, juntamente com o ex-ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, coordena o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus, criado pelo Consórcio Nordeste.

Sem rojões

É preciso que a população se conscientize que, além de proteger-se da contaminação pelo coronavírus, é fundamental evitar a demanda por atendimento médico que acontece todos os anos em função do uso de rojões, balões e fogueiras.

Os hospitais estão com capacidade extremamente reduzidas para atender aos doentes do coronavírus. É preciso evitar pressionar ainda mais os sistemas de saúde com casos de queimaduras, além de não estimular um ambiente de alto risco de contágio como o das festas juninas.


SAIBA MAIS

E como os veículos e profissionais de comunicação podem colaborar?

- Divulgando os conceitos e hashtags da campanha - #SãoJoãoEmCasa #SãoJoaoSemFogos #SãoJoaoPelaVida - em notícias, lives e campanhas durante os meses de junho e julho.

- Divulgando as peças da campanha para os seus funcionários nas redes de endomarketing de empresas e veículos de comunicação.

- Criando peças com as mesmas ideias e divulgando em suas redes e em seus veículos.

- Desenvolvendo outras formas criativas de divulgar essas ideias.

- Produzindo pautas, matérias, ações promocionais e peças que incentivem as pessoas a pensarem em outras formas de comemorar o São João, como: festa digital, decoração das casas com ajuda das crianças, fazer do São João um momento de reunião familiar e promover a ideia de que, com essas atitudes, estão cuidando dos seus entes queridos.

- Assumindo a produção de criações feitas pelo grupo de voluntários do Projeto Mandacaru: Sem festas na rua. Sem fogos. Em respeito à vida!

- E, em todas as ocasiões, divulgando o App Monitora Covid-19, ferramenta tecnológica do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus, e incentivando as pessoas a baixar esse aplicativo para obter informações e orientações confiáveis sobre a doença e unidades de saúde mais próximas, além de ajudar a monitorar a epidemia no Brasil.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.