Dengue

Saneamento precário pode elevar risco de proliferação do Aedes aegypti

Segundo dados do Trata Brasil, 100 milhões de brasileiros vivem hoje sem acesso à coleta de esgoto; apenas 46% do esgoto passam por tratamento

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h20
Larva do mosquito Aedes aegypti transmite dengue e outras doenças
Larva do mosquito Aedes aegypti transmite dengue e outras doenças (mosquito Aedes aegypti)

Brasília - Segundo dados do Trata Brasil, 100 milhões de brasileiros vivem hoje sem acesso à coleta de esgoto. E apenas 46% do esgoto passam por tratamento. Com a falta de saneamento, o risco de doenças é maior – entre elas, a dengue, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

A falta de saneamento básico pode facilitar a reprodução do mosquito, como explica a especialista em Saneamento Ambiental e professora da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro Iene Figueiredo.

“Um ambiente não saneado ele atrai todo tipo de vetor que gosta desse tipo de ambiente. A gente está falando de barata, de rato, de mosca. E de mosquito também. Saneamento – não está incluindo só esgotamento sanitário e água –, mas, também, drenagem e coleta de resíduos sólidos. Quando a gente tem um ambiente que essa prestação de serviços é precária, vetores de doenças serão atraídos.”

O Ministério da Saúde recomenda que a limpeza de possíveis focos do mosquito da dengue, dentro de casa, seja semanal. Por isso, é importante que toda a população esteja empenhada em eliminar os locais de armazenamento de água nas casas, quintais e na vizinhança.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.