Aedes aegypti

Casos de dengue e zika têm redução na capital

De janeiro a março de 2021, foram registrados 17 casos de dengue, 14 de febre chikungunya e 13 de zika em São Luís

Bárbara Lauria / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h17
Pneus velhos acumulam água e servem de criadouro do mosquito
Pneus velhos acumulam água e servem de criadouro do mosquito (pneus dengue)

São Luís - São Luís apresentou, de janeiro a março deste ano, grande redução no número de casos de dengue e zika, em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto a febre chikungunya apresentou o registro de apenas um caso a mais em relação a 2020, conforme dados da Secretária Municipal de Saúde (Semus).

A redução dos casos de dengue na capital chegou a 97,7%, enquanto os de zika ficaram em 61,7%. Foram registrados 17 casos de dengue, 14 de febre chikungunya e 13 de zika. Em 2020, os registros foram de 322 casos de dengue, 13 de febre chikungunya e 34 de zika, em igual período.

Em relação aos casos de doenças causadas por arboviroses em todo o Maranhão, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretária de Estado da Saúde (SES), referente ao período de 1º de janeiro a 6 de março de 2021, a redução dos casos confirmados de dengue foi de 80,16%, enquanto os casos de zika vírus e chikungunya apresentaram quedas de 93,33% e 88,57%.

A redução, como foi apontado pelo Programa de Arboviroses de São Luís, pode ter sido causada pela suspensão das festas de Carnaval no Maranhão, que causou a redução do “fluxo migratório”, dificultando a propagação do vírus que causa a dengue e outras arboviroses.

Lixo e acúmulo de água
Apesar da redução de casos, o início do período chuvoso costuma ser o período de maior propagação das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. De acordo com a Semus, a proliferação maior está nos bairros da periferia de São Luís, em terrenos baldios e com a presença de caixas d’água.

Como destacado em reportagem especial de O Estado, o bairro do Coroadinho é o com maior registro de casos de dengue da capital. Segundo a pasta municipal, foram 132 ocorrências de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2020. Na estatística, o bairro lidera “com sobra”. O segundo com maior índice é o Bom Jesus, com 26 casos.

Outra preocupação é o descarte inadequado de lixo durante o período de chuvas. Em fevereiro, moradores da capital denunciaram o terreno em volta do Ecoponto da região do centro de São Luís, no qual ocorria o descarte inadequado do lixo, com acúmulo de água, o que pode favorecer a proliferação do mosquito.

Segundo nota da Semus, as equipes de agentes estão realizando visitas domiciliares em várias partes da cidade de São Luís, obedecendo aos critérios sanitários de prevenção da Covid-19, além da circulação dos carros fumacê, com produto borrifador específico para o combate ao Aedes.

A Secretária de Estado da Saúde informou que tem intensificado as ações de combate ao Aedes aegypti por todo o estado, especialmente nas áreas que apresentam alto índice de infestação ou de casos da doença.

Entre os serviços, que estão sendo executados pelas equipes da SES, está a nebulização em diversas regiões. Em regionais de saúde, agentes de endemia participam de treinamento para a continuidade do trabalho nos municípios. No último mês, ações foram realizadas nos municípios de Presidente Dutra, Itapecuru e Timon.

SAIBA MAIS

É possível pegar dengue e coronavírus ao mesmo tempo?

Apesar de ser assunto ainda estudo, pesquisadores apontam que duas infecções por vírus respiratórios podem acontecer simultaneamente. No caso da dengue, como a transmissão é feita pelo mosquito Aedes aegypti, a contaminação pode acontecer de forma simultânea com a da Covid-19, que ocorre por aerossóis.

Como diferenciar Dengue do Coronavírus

O ideal é que a pessoa com suspeita das doenças passe por uma triagem, pois os sintomas são parecidos, contato, é importante que fique atento aos detalhes.

Sintomas dengue

  • Febre alta (39° a 40°C) de início repentino, que geralmente dura de 2 a 7 dias,
  • Dor de cabeça
  • Dores no corpo e articulações
  • Fraqueza
  • Dor nos olhos
  • Erupções cutâneas
Sintomas coronavírus

  • Tosse
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar
  • Perda de olfato
  • Alteração do paladar
  • Cansaço

NÚMEROS – em São Luís

2020

322 casos de dengue
13 de febre chikungunya
34 de zika

2021

17 casos de dengue
14 de febre chikungunya
13 de zika

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.