Restauração

Após denúncia de O Estado, buracos em ponte são tapados

Equipes estiveram na ponte para tapar buracos e outros problemas; guarda-corpo ainda será restaurado

Nelson Melo / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h21
Buracos foram tapados na ponte
Buracos foram tapados na ponte (dnit)

Equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit/MA) estiveram na Ponte Marcelino Machado, sobre o Estreito dos Mosquitos (entrada de São Luís), para tapar os buracos e fazer outros reparos no asfalto, situações denunciadas por O Estado na edição desta sexta-feira, 24. Segundo o órgão, o Exército não participará da recuperação da estrutura, danificada em acidente com carreta, pois existe um projeto próprio para isso.

Em nota, o Dnit/MA, informou que o órgão tem contratado a restauração de cerca de 74 km da BR-135 e que concentra os esforços para a liberação de orçamento para todo o segmento. A autarquia disse que suas equipes identificaram trechos da rodovia federal que necessitam de uma intervenção mais profunda, em razão de problemas estruturais que surgiram durante a execução da restauração.

“Para resolver esse problema, novo contrato de manutenção está sendo providenciado de forma a garantir segurança dos usuários. A BR-135/MA receberá um novo projeto para a completa recuperação estrutural do pavimento, entre as cidades de Miranda do Norte e Caxuxa, segmento que apresenta problemas crônicos ao longo dos últimos anos. A previsão de conclusão do projeto ocorrerá até o início de 2021, e já teve o processo licitatório iniciado desde o último dia 17/01”, frisou o Dnit/MA.

Recuperação na BR-135
Ainda segundo o Departamento, há atividades de acordo entre o Dnit e o Exército Brasileiro que fazem parte do Termo de Execução Descentralizada (TED). Para 2020, conforme frisou, serão investidos cerca de R$ 20 milhões para dar continuidade no trecho citado pelo acordo, que contempla aproximadamente 15 km da BR-135, no sentido decrescente, partindo de Bacabeira até São Luís. No entanto, a Ponte Marcelino Machado não está incluída no rol de obras a serem realizadas pelo contrato firmado entre a autarquia e os militares.

“A ponte será contemplada com projeto próprio de recuperação no âmbito do Programa de Manutenção e Reabilitação de Estruturas (Proarte), que ocorrerá ao longo do ano de 2020”, destacou o Dnit/MA. A autarquia salientou que, nesse primeiro momento, estão sendo providenciados estudos, no sentido de realizar os reparos dos defeitos identificados no tabuleiro da ponte.

No que se refere ao guarda-corpo (lateral da ponte), o Dnit/MA frisou que o processo de recuperação já se encontra em andamento. Aquela estrutura foi destruída em um trecho depois que um caminhão, que transportava milhos, caiu da Marcelino Machado, em outubro do ano passado. Na ocasião, o motorista teria dormido ao volante, conforme declarou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na época.

“Por causa do período chuvoso, as atividades de cooperação entre o Dnit e o Exército Brasileiro serão efetivamente iniciadas (previsão) entre junho e julho. Nesse primeiro momento apenas serviços paliativos (limpeza, roçagem, etc) estarão sendo executados, bem como estudos preliminares para execução das obras”, enfatizou a autarquia.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.