Polícia | Condenação

Jhonatan Sousa é condenado por mortes em Santa Inês

Assassino confesso de Décio Sá, foi condenado pela morte de dois homens em um bar daquele município
29/11/2019
Jhonatan Sousa é condenado por mortes em Santa InêsJhonatan de Sousa Silva está preso pelo assassinato do jornalista Décio Sá (Divulgação)

Vinte e dois anos e onze meses de prisão foi a condenação, ontem, de Jhonatan de Sousa Silva, assassino confesso do jornalista Décio Sá, pela morte de Antônio Pereira Lima e Geraldo Araújo Pereira. De acordo com a polícia, o duplo homicídio aconteceu no dia 12 de outubro de 2010, em um bar, na cidade de Santa Inês.

O julgamento ocorreu no Fórum de Santa Inês e presidido pela juíza Denise Pedrosa como também contou com a participação do promotor de Justiça, Artur Deltoso. Já a defesa do réu foi feita pelo defensor público Erick Martins.

Durante a sessão, Jhonatan Silva mudou a versão e declarou para a magistrada que cometeu o crime devido uma das vítimas ter assediado uma mulher, nome não revelado, no bar, pois, anteriormente tinha tido para a polícia que a execução foi durante uma discussão proveniente de uma aposta no valor de R$ 5 de jogo de sinuca.

Na época do crime, Jhonatan Silva usava nome falso de Leandro da Silva da Conceição e chegou a ser preso, mas, foi liberado por meio de habeas corpus. A empreitada criminosa somente foi descoberta após a morte de Décio Sá, em abril de 2012, na Avenida Litorânea.

Outros julgamentos

Jhonatan Silva já cumpri uma pena de 27 anos e sete meses de prisão pela morte de Décio Sá, e, no mês de setembro deste ano, foi absolvido pelo assassinato do detento Alan Kardec Dias Mota. Este crime ocorreu no mês de janeiro de 2018, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Ele também responde por mais cinco processos, inclusive, pelo assassinato do corretor de imóveis Fábio dos Santos Brasil Filho, no dia 31 de março de 2012, na capital piauiense. O julgamento da morte de Fábio Brasil estava prevista para ocorrer no dia 26 de setembro deste ano, no fórum de Teresina, no Piauí, e seria conduzido pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Antônio Reis de Jesus. O Ministério Público solicitou o adiamento da sessão devido algumas testemunhas arroladas não terem sido localizadas e ainda ontem não tinha uma data definida.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte