COLUNA SOCIAL

MARANHENSE NO PÓDIO

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22

Davi Hermes provou, mais uma vez, porque está entre os atletas paraolímpicos mais promissores do Brasil. O nadador de 16 anos saiu do Campeonato Brasileiro de Natação, promovido pela Confederação Brasileira de Natação de Desportos para Deficientes Intelectuais (CBDI), no início da semana em São Paulo, com quatro medalhas. Uma de ouro, duas prata e uma de bronze.

A brasilidade à flor da pele (aveludada) de Yasmin Morais tem garantido à maranhense diversos trabalhos com pegada regional - bastante em voga na moda, diga-se. Ela está passando estes dias em Alter do Chão, destino paradisíaco do Pará, em projeto que, por enquanto, mantém sob sigilo. Aqui, a modelo na nova campanha da grife Adriana Degreas.
A brasilidade à flor da pele (aveludada) de Yasmin Morais tem garantido à maranhense diversos trabalhos com pegada regional - bastante em voga na moda, diga-se. Ela está passando estes dias em Alter do Chão, destino paradisíaco do Pará, em projeto que, por enquanto, mantém sob sigilo. Aqui, a modelo na nova campanha da grife Adriana Degreas.
As irmãs Raíssa e Rebeca Murad estão às voltas com os últimos detalhes para a apresentação da ópera Sansão e Dalila, que acontece neste sábado, 16, no Ginásio do Colégio Dom Bosco. O espetáculo é a culminância do projeto especial de alfabetização da escola, idealizado e dirigido por Ceres Murad, mãe das diretoras do Colégio Dom Bosco. Reconhecido nacionalmente através do Prêmio Darcy Ribeiro de Educação, o método se vale de um estudo completo de ópera na solidificação da aprendizagem de leitura e escrita
As irmãs Raíssa e Rebeca Murad estão às voltas com os últimos detalhes para a apresentação da ópera Sansão e Dalila, que acontece neste sábado, 16, no Ginásio do Colégio Dom Bosco. O espetáculo é a culminância do projeto especial de alfabetização da escola, idealizado e dirigido por Ceres Murad, mãe das diretoras do Colégio Dom Bosco. Reconhecido nacionalmente através do Prêmio Darcy Ribeiro de Educação, o método se vale de um estudo completo de ópera na solidificação da aprendizagem de leitura e escrita
Campeão mundial de Natação para Síndrome de Down 2018, o maranhense Davi Hermes volta a fazer bonito nas piscinas. Ele saiu do Campeonato Brasileiro de Natação, realizado em São Paulo no início desta semana, com quatro medalhas: uma de ouro, duas pratas e um bronze
Campeão mundial de Natação para Síndrome de Down 2018, o maranhense Davi Hermes volta a fazer bonito nas piscinas. Ele saiu do Campeonato Brasileiro de Natação, realizado em São Paulo no início desta semana, com quatro medalhas: uma de ouro, duas pratas e um bronze

Haja medalhas
Nos 50m borboleta Davi alcançou seu ouro, sendo o único da competição a nadar abaixo dos 42 segundos. Já nos 100m borboleta e 100m livre, o maranhense obteve prata. E ainda saiu do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro com um bronze, conquistado no último dia da competição.

Novas braçadas
Agora, nosso prodígio das piscinas se prepara para a Paralimpíadas Escolares, que acontece em São Paulo entre os próximos dias 20 e 22.

A propósito...
Davi Hermes vem obtendo excelentes resultados desde que sagrou-se Campeão Mundial de Natação para Síndrome de Down em 2018. De lá para cá, o maranhense ainda levou três medalhas nos X Jogos Aquáticos do Ceará de Paranatação, com direito a recorde pan-americano júnior. Além de mais dois ouros no Meeting Brasileiro de Natação, em São Paulo.

Vinil e vista
Dona de um dos melhores repertórios musicais, a DJ Vanessa Serra embala o pôr do sol desta véspera de feriado no deck do restaurante Coquille (no Brisamar Hotel). "Vinho, vinis e afins" é o nome do projeto que ela está comandando por lá às quintas. Super pedida!

Feito a mão
Quatro associações de artesãos do Maranhão acabam de ser selecionados para o "mapa do artesanato brasileiro" da ONG Artesol. Fundada há 20 anos pela então primeira-dama Ruth Cardoso, o projeto tem como foco manter viva a diversidade do artesanato de raiz brasileiro.

Entrelaçados
Além de ganhar capacitação sobre tecnologia e comunicação, as associações foram catalogadas no portal da Instituição (artesol.org.br), que serve como canal efetivo de negociação entre outros artesãos, lojistas, pesquisadores, promotores culturais e consumidores finais.

No mapa do artesanato
Os beneficiados pela iniciativa foram a Associação Buriti Artes e o Artesanato Rio Grande, de São Luís; o Grupo Artes e Talentos, da cidade de Barreirinhas; e a Associação Arte Trama, de Tutóia.

Buriti
Em 2018, um dos grupos selecionados foi a Cooperativa dos Artesãos dos Lençóis Maranhenses (Artecoop). Composta de 65 mulheres, a associação trabalha com o tricô de palha de buriti, tingido naturalmente com casca de cebola, salsa e outras plantas. Graças à visibilidade da Rede Artesol, elas fizeram parcerias com marcas como Cantão, Lenny Niemeyer e L'occitane.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.