Cidades | Incêndios

Equipes dos Bombeiros e do Exército monitoram queimadas no Maranhão

Bombeiros capacitaram militares do Exército em treinamento no quartel do 24º BIS, em São Luís; Maranhão já registrou 5.596 focos de incêndio neste ano; efetivo vai participar da denominada "Operação Verde Brasil"
Nelson Melo / O Estado28/08/2019
Equipes dos Bombeiros e do Exército monitoram queimadas no MaranhãoHomens do Exército durante o treinamento, em área do 24º BIS, para combate a queimadas no estado (Divulgação)

SÃO LUÍS - Os incêndios florestais estão sendo motivo de preocupação no Brasil inteiro pelas drásticas consequências ambientais e sociais nos ambientes onde ocorrem. O Maranhão também está sofrendo com esse problema, principalmente, no trecho da Amazônia Legal. A fim de prevenir as queimadas, o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e o Exército montaram uma sala de situação, para fazer o monitoramento dos focos de incêndios no estado, que já alcançaram a faixa dos 5.596 neste ano.
Houve capacitação dos bombeiros aos militares das Forças Armadas.

Segundo a Secretaria de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), o Governo do Estado solicitou, com o Governo Federal, o emprego das Forças Armadas para atuarem de forma preventiva com relação às queimadas no território maranhense, uma vez que o período de seca é intensificado no segundo semestre. Foi informado pelo órgão que, diante dessa realidade, o CBM e o 24º Batalhão de Infantaria de Selva (24º BIS) criaram essa sala de situação referente ao monitoramento dos incêndios florestais.

“Como parte do trabalho, 150 integrantes do Exército foram capacitados pelo CBM para o combate e prevenção de queimadas. Os militares estão aptos a responder chamados que possam surgir, em qualquer região do Maranhão”, frisou a Secap. Ainda segundo o órgão do Governo do Estado, não há registro de qualquer local do Maranhão que exija o emprego imediato de tropas federais ou da força-tarefa com os bombeiros.

“O planejamento para enfrentar o período de estiagem de 2019 do CBM está pronto, e as ações contam com o apoio do Batalhão de Bombeiros Ambiental e unidades operacionais do interior”, finalizou a nota.

O treinamento
O treinamento para a prevenção e combate a incêndios florestais no Maranhão aconteceu durante dois das, no quartel do 24º BIS, no bairro João Paulo, em São Luís. Na ocasião, os bombeiros ministraram aulas para que os homens do Exércitos consigam debelar o fogo no menor tempo possível e de forma eficiente, a fim de evitar que as chamas se espalhem com rapidez. Segundo a Seção de Comunicação Social do 24º BIS, a capacitação aos militares do Exército durou dois dias, e foram utilizadas diversas técnicas com equipamentos distintos.

Operação Rio Verde
De acordo com a Seção de Comunicação Social do 24º BIS, o “Batalhão Barão de Caxias” deslocou 35 militares para o Estado do Pará, com a finalidade de reforçar o contingente militar nas operações de combate a incêndios florestais e crimes ambientais na área da Amazônia Legal. A tropa saiu do Pátio General Sampaio, localizado no quartel do 24º Batalhão, na manhã dessa terça-feira (27), por volta das 6h30. O efetivo vai participar da denominada “Operação Verde Brasil”.

Queimadas no Maranhão
De 1º de janeiro até o dia 26 de agosto, já ocorreram 5.596 focos de incêndios florestais no Maranhão, conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Com relação ao mesmo período de 2018, que fechou em 4.760 focos, o aumento foi de 17%. Em 2017, foram 5.000 focos. Em 2016, 7.135. Em 2015, 8.229. Em 2014, 8.375. Em 2013, 4.427.

Amazônia Legal
A Amazônia Legal é uma região que abrange uma área de mais de 5 milhões de quilômetros quadrados, representando dois terços do país. Ela foi criada pelo governo brasileiro nos anos de 1950 como tentativa de desenvolver e integrar a região da bacia amazônica, por meio de incentivos ficais.

A Amazônia Legal inclui os estados do Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Acre, Tocantins, Mato Grosso e parte significativa do Maranhão. A região se caracteriza por um mosaico de habitats com grande variedade na ocorrência e quantidade de espécies da fauna e da flora. Além da Floresta Amazônica, a Amazônia Legal engloba 37% do Bioma Cerrado, 40% do Bioma Pantanal e pequenos trechos de formações vegetais variadas.

Causas para as queimadas
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, além da ação humana, as queimadas também podem ser causadas pelo tempo seco nas regiões. Conforme o órgão, 80% do território nacional fica sem chuva nesta época do ano, o que propicia que o fogo se espalhe na vegetação. O Inpe diz que os efeitos desses incêndios são muitos, como a destruição da fauna e da flora, o empobrecimento do solo e a redução da penetração de água no subsolo.

Regionalmente, as queimadas causam poluição atmosférica e alteram ou destroem o ecossistema, modificam a composição química da atmosfera e até mesmo do clima no planeta.

Focos de incêndios

(De 1º de janeiro a 26 de agosto de cada ano no Maranhão)

2013 – 4.427
2014 – 8.375
2015 – 8.229
2016 – 7.135
2017 – 5.000
2018 – 4.760
2019 - 5.596

NÚMEROS
150
integrantes do Exército estão sendo capacitados pelo CBM
5.596 focos de incêndios florestais ocorreram no Maranhão, de 1º de janeiro até o dia 26 de agosto deste ano
4.760 focos de incêndio florestais ocorreram no Maranhão, de 1º de janeiro até o dia 26 de agosto de 2018
5 milhões de quilômetros é a abrangência da região que engloba a Amazônia Legal

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte