Cidades | CIDADE CONSCIENTE

São Luís debate conceito "Lixo Zero" em encontro anual

Durante evento, Comitê Gestor de Limpeza Urbana da capital apresentou panorama positivo; Instituto Lixo Zero, parceiro no encontro, realçou políticas adotadas pelo Município
Igor Linhares11/06/2019
São Luís debate conceito "Lixo Zero" em encontro anualEncontro Municipal Lixo Zero São Luís discutiu ontem, no auditório da OAB, políticas adotadas no descarte do lixo (Biné Morais)

SÃO LUÍS – Os desafios quanto o descarte incorreto de resíduos sólidos, um dos grandes problemas e geradores de transtornos nos centros urbanos, foi debatido ontem (10), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – seccional Maranhão), durante o II Encontro Municipal Lixo Zero São Luís. Durante a ocasião, um panorama mostrou quais políticas a capital tem adotado para enfrentar a realidade ameaçadora ao meio ambiente, as quais foram realçadas pelo Instituto Lixo Zero, organização que tem por objetivo articular, mobilizar e provocar novas atitudes das sociedades sobre a destinação correta do lixo produzido cotidianamente.

De acordo com a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana de São Luís, ao longo de um ano, período entre a primeira e segunda edição do encontro municipal, que aconteceu durante o dia de ontem, muitas foram as metas alcançadas e os avanços decorrentes às políticas adotadas. “A prefeitura de São Luís tem avançado quanto o descarte de resíduos sólidos na cidade, o que nos faz continuar com a expansão do nosso programa de implantação de Ecopontos, que contará com mais unidades em agosto. Além disso, ainda teremos, para o mês de julho, o início do programa de coleta seletiva que, em sua fase de estreia, atenderá um único bairro como teste, para que, futuramente, possamos estender para toda a cidade e, assim, oferecer uma alternativa a mais à população”, mencionou Carolina Estrela.

Segundo o presidente do Instituto Lixo Zero, Rodrigo Sabatini, organização que representa o Brasil na Zero Waste International Alliance, movimento internacional de organizações que desenvolvem o conceito e princípios Lixo Zero no Mundo, as políticas relacionadas ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) instauradas na capital maranhense são um bom indício para o município que pretende se tornar exemplo no que se refere à destinação do lixo, que envolve, entre outras coisas, a reciclagem e a reutilização – objetivo do programa de instalação de Ecopontos desenvolvido pela gestão atual e que tem surtido resultados positivos.

“Em São Luís, o que se percebe é que as ações de conscientização têm proporcionado bons resultados. Dessa forma, acreditamos que o fortalecimento das boas práticas em sociedade possa promover a revolução que nós esperamos. É fato que os problemas existem e em grande escala, mas para enfrentar esses problemas é preciso que a sociedade, ou, pelo menos, uma parte dela, de início, tome empoderamento e desenvolva os bons exemplos capazes de conscientizar o todo para que consigamos alcançar o objetivo de uma cidade conceito lixo zero, que é o que nós precisamos em virtude do cenário que se desenha em todo o mundo”, enfatizou Sabatini.

Ao encontro do que propõe o presidente do Instituto Lixo Zero, a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana da capital disse que muito vem sendo debatido acerca da temática e uma das principais atividades desenvolvidas para reverter o grande consumo e consequente descarte são as educacionais, inclusive nas escolas, durante o ano inteiro. “Temos fomentado inciativas que podem diminuir o encaminhamento de resíduos para os aterros sanitários, a exemplo da transmissão de conhecimento que trata sobre a reutilização, de reciclagem, de redução de consumo numa perspectiva em que é preciso entender a cadeia dos produtos consumíveis no dia a dia. É preciso que falemos, todos os dias e para todas as pessoas, o que podemos fazer com o nosso próprio lixo”.

Medidas

O Comitê Gestor de Limpeza Urbana sempre pede o apoio da população de São Luís para garantir a limpeza da cidade. “A limpeza urbana abrange diversas áreas. Com ela garantimos a melhoria da saúde pública, a proteção do meio ambiente, uma paisagem urbana mais agradável e o bem-estar dos moradores, por isso, a população deve fazer sua parte neste processo. É fundamental que cada morador cuide do seu lixo da forma correta”, frisa Carolina Moraes Estrela.

À população cabe acondicionar o lixo domiciliar em sacos plásticos bem fechados, evitando que este lixo se espalhe pelas vias públicas, entupindo galerias e bueiros. Também é necessário descartar o lixo apenas nos dias de coleta de cada bairro, observando o horário em que o caminhão de coleta passa para fazer o recolhimento.

Ecopontos

Para coibir o descarte irregular e garantir à população espaços adequados para o descarte dos resíduos não recolhidos pelo serviço de coleta domiciliar, a Prefeitura de São Luís, na gestão do prefeito Edivaldo, tem implantado Ecopontos. Já são 13 em pleno funcionamento, beneficiando toda a cidade e mais diretamente 400 mil pessoas em mais de 100 bairros da capital que ficam no entorno dos Ecopontos.

Toneladas de materiais recicláveis, entulhos e outros resíduos que eram descartados irregularmente nas ruas da cidade, causando prejuízos à população, são recebidos nos Ecopontos que estão localizados no Parque Amazonas, Angelim, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança, Cidade Operária, São Francisco, Anil e São Raimundo.

Como a população pode colaborar com a limpeza urbana?

- Não jogue lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, terrenos baldios, bueiros e encostas. Além de poluir a cidade, o lixo nas ruas entope bocas de lobo e pode provocar enchentes;
- No trânsito, respeite os cones de sinalização. Eles estão ali para proteger os varredores, que estão trabalhando para deixar a cidade mais limpa;
- Respeite os dias e horários de descarte do lixo para coleta, evite deixar seu lixo na rua por mais tempo que o necessário;
- Embale corretamente seu lixo, em sacolas resistentes, bem fechadas e de tamanho adequado, para evitar que elas se abram e espalhem o lixo nas vias públicas. Lixo não embalado, além de exalar mau cheiro, atrai animais que podem ser portadores de doenças;
- Proteja o vidro e outros materiais perfurocortantes (estiletes, pregos, lâminas etc) com material resistente antes de colocá-lo na sacola e pressione as tampas das latas para dentro. Esses materiais desprotegidos podem ferir o agente de limpeza, mesmo ele usando as luvas protetoras.

Denúncias

A população de São Luís pode denunciar casos de descarte irregular de lixo e terrenos baldios usados como "lixões" por meio da Central de Atendimento do Comitê Gestor de Limpeza Urbana pelo telefone 0800 098 1636.

IMPORTANTE

Problemas causados pelo descarte inadequado do lixo

Alagamentos e inundações

O descarte inadequado de lixo é uma das principais causas de alagamentos e inundações nas grandes cidades. Isso porque resíduos sólidos jogados em vias públicas e em cursos d’água (canais, córregos, rios) impedem o escoamento rápido das águas pluviais. Com isso, a ocorrência de enchentes aumenta consideravelmente.

Aumento da poluição

O lixo, quando jogado em vias públicas ou depositado ilegalmente em áreas particulares e aterros clandestinos, polui o solo e lençóis freáticos, afetando a flora e a fauna do local. Dependendo do grau de contaminação e do tipo de contaminantes presentes, este problema coloca em risco a saúde pública.

Desperdício de dinheiro público

O descarte irregular de lixo aumenta os gastos públicos dedicados à limpeza urbana. Isso porque a prefeitura, que já gasta com a coleta e destinação final dos resíduos sólidos, é obrigada a alocar mais verbas no setor de limpeza urbana para recolher os detritos das vias públicas que foram descartados inadvertidamente pela população.

Desvalorização de imóveis

Bairros em que os moradores e comerciantes não prezam pela limpeza de vias públicas, praças e terrenos particulares, perdem valor imobiliário. São considerados “terra de ninguém”, onde as pessoas se sentem à vontade para descartar lixo, entulho, mobília e materiais em qualquer lugar. Isso favorece a proliferação de roedores e insetos, além de favorecer as enchentes, prejudicando a saúde dos próprios moradores e comerciantes.

Obstrução de vias públicas

Depositar entulho em vias públicas prejudica o trânsito de pedestres, ciclistas e até de veículos, o que pode causar inúmeros acidentes de trânsito. Além disso, há o risco de queda ao tropeçar em restos das podas de jardins e entulhos da construção civil. Para idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais, essas vias representam um grande risco.

Prejuízos ao turismo

Uma cidade turística suja acaba perdendo visitantes e a oportunidade de impulsionar a própria economia. A limpeza pública é um dos quesitos mais importantes na hora de vender a imagem de uma cidade que vive do turismo, e um viajante mais exigente acaba escolhendo outro destino para a próxima viagem.

Saúde pública

O descarte inadequado de lixo prejudica a qualidade de vida da população que habita a cidade: os resíduos contaminam o solo e a água, favorecem a proliferação de mosquitos, ratos, escorpiões, entre outros insetos e animais peçonhentos. Basta um recipiente plástico jogado em um terreno, por exemplo, para que seja formado um verdadeiro criadouro de mosquitos da dengue, zika e chikungunya.

SAIBA MAIS

CONCEITO LIXO ZERO

Lixo Zero é uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para guiar as pessoas a mudar seus modos de vidas e práticas de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais residuais são projetados permitindo seu uso no pós-consumo. Lixo Zero significa projeto de produto e gerenciamento de processos para evitar e eliminar sistematicamente o volume e a toxicidade dos resíduos e materiais, conservar e recuperar todos os recursos e não aterrar ou incinerá-los.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte