Polícia | Violência

Chacina e explosão de banco marcam o fim de semana no Maranhão

Quatro ciganos morreram e cinco ficaram feridos em tiroteio dentro de uma feira em Coelho Neto; em Penalva, a polícia procura quadrilheiros que explodiram o Bradesco
Ismael Araújo10/06/2019
Agência do Bradesco explodida na cidade de Penalva

COELHO NETO - Chacina e explosão bancária marcaram o fim de semana no interior do estado. Um tiroteio em pleno mercado do produtor, na área central da cidade de Coelho Neto, promovido ontem por ciganos, resultou na morte de quatro pessoas e deixou cinco baleadas. Entre os feridos, uma criança de 10 anos. A polícia informou que até o começo da noite deste domingo apenas um dos acusados, que estava ferido, havia sido preso. Diligências policiais continuavam na região visando prender os outros criminosos.

Uma das vítimas da chacina foi morta dentro do seu carro

A manhã deste domingo foi de pânico em Coelho Neto. O delegado regional de Caxias, Jair Paiva, informou que acusados e vítimas são ciganos e alimentam uma rixa antiga. Um grupo chegou atirando contra os outros ciganos. Houve troca de tiros e correria.

Muitos vendedores e clientes saíram correndo com medo de serem alvejados ou mortos. Um veículo de uma das vítimas ficou crivado de balas. Também era possível encontrar marcas de tiros nas paredes e nas bancas dos feirantes. O delegado disse que esse ato criminoso ocorreu em horário de grande movimento.

Quatro pessoas morreram no local. Um deles morreu no volante de um veículo, que estava crivado de tiros. Policiais militares estivem no local, assim como os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As vítimas menos graves foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, enquanto os mais graves para um hospital da cidade de Caxias.

Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML) de Timon para serem autopsiados e identificados e liberados para os familiares. Ainda segundo o delegado, um dos acusados, que estava baleado, foi preso e levado para o hospital e logo que receber alta médica, será apresentado na delegacia de Polícia Civil de Coelho Neto.

Cerco

Jair Paiva informou que quatro envolvido no tiroteio fugiram em um veículo Picape que durante a perseguição policial acabou caindo em um riacho, na zona rural do município. Os criminosos, então, tomaram motocicletas de assalto na estrada e fugiram.

Policiais militares e civis estão realizando diligências na região com objetivo de prender os criminosos. Inclusive, ontem à tarde chegou reforço policial de cidades vizinhas para ajudar nas buscas. O delegado informou que a principal linha de investigação é de uma possível vingança ou acerto de contas entre os grupos de ciganos rivais. “Esse ato criminoso provavelmente ocasionado por rixa antiga entre ciganos”, disse o delegado.

Explosão

A polícia, ainda ontem, não havia conseguido prender os quadrilheiros que explodiram o Banco Bradesco na cidade de Penalva, região da Baixada Maranhense, ocorrido durante na madrugada de sábado. Catorze agências bancárias já foram atacadas por criminosos este ano no estado, segundo dados do Sindicato dos Bancários.

A polícia informou que os criminosos fortemente armados chegaram a Penalva e foram diretamente ao banco. Instalaram as bananas de dinamite e realizaram a explosão. Os assaltantes fugiram levando uma quantia não informada.

Os militares foram acionados e realizaram rondas na localidade. Não houve registro de morto ou ferido. O caso está sendo investigado pela equipe do Departamento de Combate a Roubo a Instituições Financeiras (Decrif), órgão da Superintendência de Investigações Criminais (Seic).

Números

4

foram os ciganos mortos e cinco ficaram feridos em uma chacina realizada na manhã deste domingo na cidade de Coelho Neto

14

é o número de agências bancárias atacadas por criminosos este ano Maranhão, cinco delas em São Luís

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte