Cidades | A formação do Anjo da Guarda

Os pés de bicho que viraram estrangeiros no Anjo da Guarda

A história de uma das comunidades mais fortes da Ilha, o Anjo da Guarda, que completa 51 anos de existência este ano; curiosidades marcam o bairro tradicional
Thiago Bastos / O Estado 20/04/2019

Para entender a formação e consolidação do Anjo da Guarda, é necessário fazer uma viagem no tempo. O dia era 14 de outubro e o ano, 1968. Eram aproximadamente 18h, quando um jovem ainda franzino chamado Herbert voltava de mais uma de suas “peladas” tradicionais na beira da maré – onde hoje fica o Aterro do Bacanga – quando percebeu que várias casas haviam sido incendiadas no Goiabal. Do fogo, da tragédia e da dor (e até da morte de “Doninha”) nasce um dos bairros mais tradicionais da capital maranhense. O Anjo da Guarda surge da coragem de desbravadores e da intervenção pública de antigos moradores da área considerada um dos berços da cultura de São Luís.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte