Editorial

Mulher

08/03/2019

O Dia Internacional da Mulher chega com um grito pela sobrevivência. Ela é agredida, violentada e morta. Ela é acusada de oferecer-se ao andar sozinha à noite, mas precisa trabalhar até tarde para pagar suas contas e dar sustento à família. Ela é abusada, é tolhida, é tratada como objeto sexual e subjugada pelo homem, que a quer para seu prazer. Ela ainda tem um longo caminho até conseguir mostrar seu valor. Mas ela não para. Ela segue em frente e, mesmo diante das dificuldades, arruma-se e segue em frente, porque não tem tempo para sofrer. Precisa enfrentar a tripla jornada, trabalhar em dois turnos e ainda cuidar dos filhos. Na verdade, ela é o bastião da sua família e sem ela, nada acontece. O que seria dos homens sem ela.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte