COLUNA SOCIAL

Pergentino Holanda

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h26
GRANDE DAMA do teatro brasileiro, a atriz Bibi Ferreira, que morreu ontem, vista em dois tempos: acima, na década de 1950, ainda no esplendor da juventude; à direita, em foto mais recente, denunciando as rugas de quem viveu 96 anos, sem nunca perder o brilho, o encanto de sua voz e a altivez de uma grande mulher
GRANDE DAMA do teatro brasileiro, a atriz Bibi Ferreira, que morreu ontem, vista em dois tempos: acima, na década de 1950, ainda no esplendor da juventude; à direita, em foto mais recente, denunciando as rugas de quem viveu 96 anos, sem nunca perder o brilho, o encanto de sua voz e a altivez de uma grande mulher

Crefito e Café da Manhã
Fisioterapeutas recém-formados de São Luís vão receber as boas-vindas do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Maranhão (Crefito-16), durante o Café de Acolhimento 2019. O encontro vai acontecer às 9h, no próximo sábado (16), no auditório do edifício Executive Lake Center, situado no bairro do Renascença. O Café de Acolhimento consiste em um momento de conversa e interação com os novos bacharéis da fisioterapia são-luisense, servindo para que eles conheçam a estrutura e a atuação do Crefito.

Bibi Ferreira
Para homenagear a atriz, diretora e cantora Bibi Ferreira, uma das grandes damas do teatro brasileiro, que morreu ontem aos 96 anos de idade, o SescTV exibe o documentário da série Passagem de Som com o saxofonista e clarinetista argentino Hector Costita, que toca na Orquestra Bibi Ferreira.
Na produção, o músico recorda a sua trajetória musical no Brasil e conversa com Bibi Ferreira e com o produtor musical Rafael Altério.
Com direção geral de Max Alvim, o programa vai ao ar nos dias 13/2, quarta, às 23h30; 14/2, quinta, às 8h30 e 15h30; 15/2, sexta, às 17h30; 16/2, sábado, às 20h30; e 17/2, domingo, às 22h30, e pode ser assistido também emsesctv.org.br/aovivo.

Bibi Ferreira 2
Junto com Hector Costita – que nasceu em Buenos Aires e fez carreira no Brasil, onde vive e ajudou a criar o samba jazz –, Bibi Ferreira, que também era cantora, prestou homenagens a grandes intérpretes, como Édith Piaf e Frank Sinatra. Filha do ator Procópio Ferreira e da bailarina Aída Izquierdo, a artista nasceu no Rio e tinha um ano de idade quando se mudou com a sua família para a Argentina, ficando lá até os 12 anos. Sua mãe era argentina e sua
avó, uruguaia.
No episódio do Passagem de Som, Costita diz que Bibi é excepcional. “Quando ela se posiciona na frente do microfone é um privilégio e uma lição de vida impressionante, ela se transforma”, afirma o saxofonista, que confessa se sentir privilegiado em poder acompanhá-la.
O depoimento de Bibi Ferreira para o documentário foi gravado quando ela estava em cartaz com o espetáculo Bibi Ferreira Canta Repertório de Sinatra, no Teatro Renaissance, na capital paulista, em 2014.

Último dia
Quem já recebeu a sua camiseta-convite para o Almoço de Carnaval do PH Revista não precisa se preocupar. Basta customizá-la, se assim o desejar, ou simplesmente vesti-la para brilhar na tarde/noite do dia 23 de fevereiro no Palazzo Eventos.
É claro que para ter acesso ao salão o convidado precisa ter seu nome na lista de convidados. Se for com a camiseta de outra pessoa
será barrado no baile.
Os que ainda não receberam a sua camiseta, terão somente hoje, das 18 às 22h, no Rio Poty Hotel, para escolher o tamanho e garantir o seu ingresso no mais esperado e deslumbrante evento do Carnaval maranhense.
Teresa Martins estará a postos, no Rio Poty, no começo da noite de hoje para atender a todos os que não puderam comparecer ao local
no fim de semana.
A partir daí só serão atendidas as pessoas que combinaram pegá-las em outra data.

David Uip na Unieuro
Mais famoso médico infectologista do Brasil e referência entre os grandes profissionais do mundo nessa especialidade médica, o Dr. David Uip é o convidado do empresário e político Mauro Fecury para dar a aula inaugural do Curso de Medicina da Unieuro – Campus Asa Sul, em Brasília.
Será às 18h do dia 18 de fevereiro, segunda-feira.

TRIVIAL VARIADO
Em cena, Bibi Ferreira, que morreu nesta quarta-feira, 13, aos 96 anos, exibia um perfil conhecido: os óculos escuros, braços levantados, físico ligeiramente atarracado, a voz característica.

Mas, se a artista Bibi foi muito reconhecida, a mulher Abigail era familiar para poucos amigos fiéis, que conviveram com ela e sabiam de suas outras qualidades
e manias.

Abigail era uma mulher boemia, que preferia a noite: geralmente acordava por volta das 15h, quando tomava um simples desjejum: café com leite, pão com manteiga.

Ela não gostava de chocolate, mas isso não significava que tinha um apetite controlado. Pelo contrário - Bibi adorava comer feijoada de madrugada, quando não um suculento prato de coxinhas.

Suas preferências alimentícias, aliás, fariam qualquer nutricionista corar: Bibi adorava fast-food, era frequentadora assídua de lanchonetes como McDonald's (sua preferida), onde se regalava com uma de suas bebidas preferidas, Coca-Cola.

Mas havia também a Bibi mais suave, aquela que gostava de tomar chá nos finais de tarde, principalmente no shopping JK - ou, quando não era possível, no hall do hotel onde estivesse hospedada. Tudo era motivo para fazer o que mais gostava de fazer: conversar durante horas.

Bibi Ferreira era uma mulher pouco afeita a exercícios físicos. Sua preguiça, aliás, vinha da infância, quando era obrigada pela mãe a se movimentar.

Já adulta e independente, gostava de ficar acomodada no sofá de sua casa, onde
assistia durante horas e com imenso prazer a antigos programas de balé que tinha gravado em VHS ou DVD. Desculpava-se dizendo ter uma coluna encrencada, o que limitava seus movimentos.

Em parte, era verdade - Bibi só se sentava em cadeiras ou poltronas que fossem previamente preparadas com almofadas que a deixassem confortável.
Como não dirigia, era sempre conduzida e, nesses momentos, não gostava de ir no banco
de trás dos carros. “Isso é para esposas”, dizia, acomodando-se no banco da frente, onde, aliás, podia se apoiar na alça localizada acima do vidro do banco de passageiro, o popularmente conhecido como 'pqp', como ela adorava dizer.

Outra mania de Bibi era não gostar de ser atendida por médicas - preferia sempre profissionais masculinos que, por alguma razão, julgava de mais confiança. Mas tinha muitas amigas queridas, que a acompanharam ao longo de
sua carreira.

O pai, Procópio Ferreira, era uma referência constante, em todas suas conversas e o fato de honrar seu nome era motivo de orgulho para Bibi.

Quando finalmente se apresentou no Lincoln Center, em Nova York, em comemoração aos seus 90 anos, a felicidade era pelo ponto alto atingido pela filha de Procópio. “Estou na América”, saltitou ela, tão logo
desembarcou no aeroporto.

DE RELANCE

Estímulo à criatividade
Segue em andamento as aulas do primeiro semestre letivo no Colégio Objetivo São Luís, cujas portas foram abertas, oficialmente, no início deste ano. O Objetivo São Luís, que funciona no mesmo prédio da Faculdade de Negócios Faene, no bairro Angelim, tem seu próprio processo de ensino, pois segue a pedagogia nacional da marca. A principal característica é a de estimular a criatividade do aluno, por meio de uma programação orientada.

Estímulo à criatividade 2
A propósito: no planejamento e na execução de cada atividade, são levados em conta o nível de conhecimento, o ritmo de aprendizagem e os tipos de motivação que os inspiram. Dessa maneira, todas as habilidades são desenvolvidas em conjunto e, ao mesmo tempo, de forma individual, potencializando o desenvolvimento cognitivo do estudante.

Passaporte Folia
O apresentador Marcos Davi Carvalho, realiza no próximo dia 24 de fevereiro (domingo), no Hotel Luzeiros, a quinta edição da festa “Passaporte Folia”, com várias atrações musicais. Entre os convidados, a cantora Simone Mouzzy, a banda Kayambá e o cantor Pepê Junior, além do DJ Luís Emílio. O evento em clima de Carnaval vai celebrar os 15 anos do programa de turismo comandado por ele.

Monteiro Lobato na Avenida
O bloco Os Foliões gravou matéria especial para o programa Daqui, exibido aos sábados pela TV Mirante. A agremiação é uma das mais tradicionais do Carnaval maranhense e, também, uma das mais atuantes no que diz respeito à preservação das nossas tradições culturais. O bloco trabalha com planejamento e cumpre agenda o ano inteiro, inclusive internacional. Aliás, este ano, instrumentistas e balizas se apresentarão no
Festival de Santiago, na Argentina.

Monteiro Lobato na Avenida 2
Este ano, o tema do bloco Os Foliões é “Visconde de Sabugosa e As Aventuras de Monteiro Lobato. A Turma do Sítio Apronta e Os Foliões Faz de Conta”. As fantasias são assinadas por Cássio de Jesus e a música, de autoria de Luzian Filho e Josias Neto.

A escola do futuro
Após um grande investimento em pesquisas, viagens e intercâmbios internacionais com o que há de ponta na educação contemporânea, o Colégio Dom Bosco acaba de implantar o conceito de uma “Escola Exponencial” e, antes mesmo de inaugurar as novas instalações que representam esse concepção de escola do futuro, o semestre letivo de 2019 já começou com novidades na proposta pedagógica.

A escola do futuro 2
Seis componentes impulsionam esse conceito para uma aprendizagem mais moderna: a Educação por Competências, Mentoring; Projetos Exponenciais; DNA Empreendedor e Business, Singapore Math e o LabMaker, além dos já consolidados projetos de alfabetização com a ópera, os cases, a leitura crítica e investigativa e o foco em resultados.

Fim do Horário de Verão
Esta é a última semana do Horário de Verão. Embora o Maranhão tenha ficado de fora desse horário, sofremos com o horário antecipado do atendimento bancário, das decolagens e chegadas de voos, dos programas nacionais de TV. No próximo domingo (17), à 0h, os relógios devem ser atrasados em uma hora nos 10 Estados nos quais a mudança é realizada, além do Distrito Federal.

Aula de jazz
É hoje, na Academia Viva Água, no Renascença II, a aula especial de jazz para crianças de 6 a 13 anos de idade. A aula será ministrada pelo professor Hélio Martins. O evento acontecerá às 18h30. O jazz é uma explosão de energia que se irradia dos quadris. Trata-se de um ritmo pulsante que dá o balanço certo e a qualidade do movimento.

Para escrever na pedra:
“Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para poder voltar inteira”. Da poetisa Cecília Meireles, com muita sabedoria.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.