Polícia | Prisão

Escrivão da Polícia Civil lotado em Grajaú é preso por corrupção

Eldhon Costa é acusado de crimes de corrupção, peculado, ameças, extorsão e organização criminosa e de levar vida de luxo incompatível com o seu salário
Ismael Araújo26/01/2019
Escrivão da Polícia Civil lotado em Grajaú é preso por corrupçãoEldhon Costa foi transferido para São Luís após a prisão em Grajaú (Divulgação)

SÃO LUÍS - O escrivão da delegacia de Polícia Civil de Grajaú, Eldhon Costa, permanecia preso nesta sexta-feira, 25, em uma das celas do presídio da Polícia Civil, na Cidade Operária, em São Luís. Segundo a polícia, ele foi preso no último dia 22 acusado de crimes de corrupção, peculato, ameaça, organização criminosa e extorsão.

O escrivão estava sendo investigado pela Superintendência de Combate a Corrupção (Seccor), órgão ligado a Secretaria de Segurança Pública (SSP), e também pelo Ministério Público. Há informações de que o policial civil teria cometido esses crimes em Grajaú.

Eldhon Costa ostentava, ainda, nas redes sociais as viagens internacionais que realizava em companhia de amigos. Segundo a polícia, ele levava uma vida de luxo em Teresina, na capital piauiense, incompatível com o seu salário. A polícia informou, também, que há suspeitas da existência de outros agentes do Estado envolvidos nessa ação criminosa, incluindo o delegado da Polícia Civil Idaspe Perdigão, que está preso em São Luís.

Mais prisão

Ainda nesta sexta-feira, a polícia prendeu na cidade de Cantanhede o empresário do ramo de psicultura, Renildo Ferreira Rocha, de 41 anos, acusado de crime de agiotagem e ameaças. Com ele a polícia apreendeu vários cartões bancários e um veículo de luxo.

O delegado Samuel Morita declarou que o detido ameaçou a esposa, identificada como Alexia, devido ela ter resolvido denunciá-lo pelo crime de agiotagem. O empresário foi preso em sua residência, em Cantanhede, e a polícia arbitrou uma fiança no valor de R$ 99 mil e ele foi liberado após o pagamento.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte