Economia | Safra 2018/2019

Mais de 92% da cana-de-açúcar produzida no Maranhão irão para a produção de etanol

Em números absolutos, das 2,068 milhões toneladas de cana-de-açúcar que serão colhidas, 1,914 milhão de toneladas serão direcionadas para a produção de etanol, que deverá alcançar 162,1 milhões de litros
23/12/2018 às 07h00
Mais de 92% da cana-de-açúcar produzida no Maranhão irão para a produção de etanolEtanol desempenha papel importante na economia brasileira, pois é utilizado como combustível nos veículos flex-fuel (Divulgação)

O estado do Maranhão deve produzir 2,068 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2018/19, de acordo com o terceiro levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Desse volume total, 92,6% serão utilizados somente na produção de etanol e apenas 7,4% para a fabricação de açúcar.

De acordo com a Conab, o cultivo de cana-de-açúcar deve apresentar diminuição de área quando comparada a safra passada, saindo de 38 mil hectares para 35,3 mil hectares em 2018/19. Já para a produtividade média, a previsão é de manutenção devendo atingir 58.644 kg/ha. Já a produção estimada de 2.068,4 mil toneladas é 6,9% menor do que a temporada anterior.

Em números absolutos, das 2,068 milhões de toneladas de cana-de-açúcar que serão colhidas, 1,914 milhão de toneladas serão direcionadas para a produção de etanol, que deverá alcançar 162,1 milhões de litros. Já as 154 mil toneladas restantes terão como destino a fabricação de açúcar, estimada em 21,8 mil toneladas.

A utilização de cana-de-açúcar especificamente para a produção de etanol anidro (aquele misturado à gasolina) corresponde a 1,628 milhão de toneladas. O resultado esperado é de 137 milhões de litros do combustível. Enquanto o volume de 285,8 mil toneladas de cana-de-açúcar será destinado à produção de etanol hidratado (que é adquirido puro na bomba), que deve chegar a 25,1 milhões de litros.

De um modo geral no Brasil, a produção de cana-de-açúcar, na safra 2018/19, deverá apresentar uma redução de 2,8% em relação à safra passada. Em números absolutos, estima-se 615,84 milhões de toneladas, ante os 633,26 milhões da safra 2017/18. Em São Paulo, maior produtor nacional, as informações coletadas nesse levantamento indicam redução absoluta de 19,14 milhões de toneladas em relação à safra passada, alcançando 330,06 milhões de toneladas na safra 2018/19.

O etanol desempenha papel importante na economia brasileira, pois é utilizado como combustível nos veículos flex-fuel (hidratado), misturado com a gasolina, com vista a baratear o combustível, aumentar sua octanagem e reduzir a emissão de poluentes (anidro), além da utilização na fabricação de tintas, vernizes, solventes, e outros.

Mercado propício

Segundo a Conab, com os atuais preços do açúcar em queda no mercado internacional, previsões de mais um ano de superávit mundial de produção, e diante de um cenário mais favorável para o etanol no mercado interno, ante à alta do dólar e do petróleo, aliado à política de reajustes da Petrobrás, as usinas concentrarão sua atenção na produção de etanol neste ano.

Tanto que a expectativa da produção brasileira para o etanol total, nesse terceiro levantamento da safra 2018/19, é de 32,3 bilhões de litros, um aumento de 18,6% em relação à safra passada, que atingiu 27,24 bilhões de litros. Esse incremento previsto na produção de etanol está relacionado à menor destinação de ATR (área total recuperável) para a produção de açúcar, consequentemente, aumentando a destinação para a fabricação de etanol.

Outro fator importante é o melhor fluxo de comercialização que ora o etanol tem frente ao açúcar. O etanol, diferentemente do açúcar, que tem sua comercialização pautada em contratos futuros, permite que a unidade de produção aumente o fluxo de caixa com maior rapidez, uma vez que a comercialização é praticamente instantânea. O pagamento é realizado tão logo o combustível é entregue na distribuidora.

Mais

Levantamentos da Conab

São quatro os levantamentos divulgados anualmente pela Conab. No primeiro, são pesquisados dados como: área em produção, área expandida, área renovada, produtividade, produção, capacidade industrial, energia gerada e consumida, tipo de colheita, desenvolvimento vegetativo da cultura, intenção de esmagamento, quantidade de cana destinada à produção de açúcar e à produção de etanol, dentre outros.

O segundo e terceiro levantamentos têm a finalidade de ajustar os dados estimados no primeiro levantamento, apurar as causas das possíveis alterações ocorridas no decorrer do desenvolvimento das lavouras e após a consolidação das informações, estabelecer e atualizar a estimativa da safra de cana-de-açúcar e dos produtos dela originados.

No quarto levantamento será realizada a consolidação dos números finais da safra de cana-de-açúcar, agregando a produção residual das Regiões Norte e Centro-Sul ainda não captadas e o encerramento da colheita na Região Nordeste.

Números

2,068

Milhões de toneladas é a produção estimada pela Conab de cana-de-açúcar na safra 2018/19, no Maranhão

162,1

Milhões de litros de etanol deverão ser produzidos na safra 2018/2019 de cana-de açúcar, no estado do Maranhão

21,8

Mil toneladas deverão ser fabricadas no maranhão a partir da utilização de 154 mil toneladas de cana-de açúcar

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte