Segurança

MA: acidentes de trabalho são reduzidos

Com investimento em saúde e segurança nas empresas foi possível reduzir o número de ocorrências; de acordo com a SPrev, entre 2015 e 2017, o índice de ocorrências nas companhias recuou quase 20%, chegando a 3.815 casos no último ano

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h28

BRASÍLIA - O Maranhão mostrou que é possível reduzir o número de acidentes dentro das empresas com investimento nas áreas de saúde e segurança no trabalho. Dados da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda (SPrev) apontam que entre 2015 e 2017, o índice de ocorrências nas companhias recuou quase 20%, chegando a 3.815 casos no último ano.

De acordo com coordenador de Segurança e Saúde da Indústria do Sesi/MA, Allan Kardec Ferreira, o resultado é reflexo das políticas de promoção das duas áreas, o que, segundo ele, também reflete na satisfação dos empregados e no aumento da produtividade. “Nós passamos daquela fase de pensar que saúde e segurança do trabalhador era uma despesa para encarar como investimento” comenta.

“Eu atribuo, principalmente, à maior conscientização dos empregadores em relação aos investimentos em segurança no trabalho. Com isso, nós constatamos uma melhoria muito grande nos ambientes de trabalho e também na saúde do trabalhador, ressalta Kardec.

Ainda de acordo com a SPrev, entre as empresas maranhenses, a taxa de incidência era de 9,62 a cada mil vínculos empregatícios em 2013. Já em 2016, esse número caiu para 8,27.

Na avaliação do consultor na área de Segurança do Trabalho, Antônio Carlos Vendrame, o investimento em SST pode significar, além da redução do impacto previdenciário, a diminuição de taxas pagas pelas empresas. “Se o meu desempenho coletivo com outra empresa também for bom, o meu seguro de acidente de trabalho também tende a cair”, afirma.

“É um universo muito grande de aumento e redução de imposto que eu posso ter. Imagina, 17,5% da folha de pagamento, quanto dinheiro que não significa e eu podendo manipular isso de forma a reduzir essas condições”, completa Vendrame.

Segundo dados de uma pesquisa feita Serviço Social da Indústria (SESI), de 500 médias e grandes empresas ouvidas no balanço, 48% delas acreditam que ações para aumentar a segurança no ambiente laboral e promover a saúde de trabalhadores reduzem as faltas ao trabalho. Para 43,6%, esses programas aumentam a produtividade e 34,8% apontam que essas ações diminuem despesas.

[Saúde e Segurança no Trabalho]

Setor da Indústria

De acordo com Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda, o setor industrial se mostrou eficaz a redução do número de acidentes de trabalho. Os últimos dados da SPrev revelam que em algumas atividades industriais, como a indústria de transformação, por exemplo, a quantidade de acidentes caiu 40,9% entre 2007 e 2016. Na extrativista o recuo foi de 33,6%.

Além disso, entre 2007 e 2015, a taxa acidentária (típicos apenas) apresentou recuou de 27,9%. Outro fator que mostra o bom desempenho da indústria é a relação do número de empregados formais, que cresceu 20,7%, com o de acidentes típicos, que ao mesmo tempo registraram queda de 21,9%.

O assunto também é abordado em estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O projeto, que é composto por um grupo de propostas encaminhado aos candidatos à Presidência da República, recomenda uma discussão sobre o investimento em segurança e saúde no trabalho.

De acordo com o balanço, é necessário que o serviço médico da empresa, por exemplo, possa subsidiar a perícia médica do INSS. A medida, segundo a Confederação, aumenta a transparência do processo e dá maior efetividade à decisão do perito, que terá informações complementares. Isso poderia gerar um impacto direto na redução de custos previdenciários

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.