Lei do crime

Criminosos demarcam território em habitacional na Ribeira

Fachadas de casas e prédios do Residencial Ribeira, do programa Minha Casa, Minha Vida, situado na zona rural de São Luís, estão pichadas com mensagens de supostos integrantes de facção; moradores estão apreensivos

Daniel Júnior / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h29

SÃO LUÍS - Criminosos estão demarcando território no Residencial Ribeira, do programa Minha Casa, Minha Vida, situado no bairro Ribeira, em São Luís. Ontem, O Estado registrou que fachadas de casas e prédios estão pichadas com mensagens de supostos integrantes de facção. “Proibido roubar, sujeito a pena de morte”, alertava um desses textos. Moradores estão apreensivos.
Morador do Residencial Ribeira há três anos, o encarregado de obras Antônio Barbosa disse que a situação do local é preocupante e diariamente vai buscar a sua mulher no ponto de ônibus. “Graças a Deus nunca ninguém mexeu comigo e nem com meus familiares, mas devemos tomar cuidado. Toda noite venho buscar minha esposa na entrada do residencial, para ela não ir andando sozinha. O nosso medo não é nem tanto que nos assaltem. Tememos um confronto entre facções”, relatou Barbosa.

Não foi constatado policiamento na área. Não havia sequer uma viatura da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) fazendo a guarda do local. “Sempre vejo um e outro [suspeitos de crimes] por aqui, perto da minha casa. Mas eles passam direto e não mexem comigo. Temos cuidado, porque ninguém conhece a capacidade do outro”, revelou o aposentado José Rodrigues, de 75 anos.

O esportista Matheus Lopes, de 22 anos, explicou que sempre tem cuidado ao andar pelas ruas do residencial. “Vejo umas pessoas desconhecidas de vez em quando e por isso temos de ter muito cuidado. Não acontecem muitos assaltos por aqui, mas não podemos vacilar”, acrescentou Lopes.

Quanto à falta de policiamento e o domínio de facções no Residencial Ribeira, O Estado procurou a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) para obter um posicionamento do órgão sobre o assunto. Porém, não teve respostas, até o fechamento desta edição.

Infraestrutura
Os ônibus não estão mais trafegando dentro do Residencial Ribeira por causa das más condições do asfalto das vias. As ruas esburacadas e repletas de lama de lixo não permitem que os coletivos transitem na região. Os transportes só chegam até a frente do residencial, e os passageiros têm de ir andando para casa. Um precipício se formou em uma das ruas do residencial, após o asfalto partir e desmoronar por completo. O buraco é profundo e um obstáculo perigoso para quem circula na área.

“Nós estamos encontrando muitas dificuldades para usar um coletivo aqui. Os ônibus só chegam na frente do residencial. À noite, algumas pessoas vêm esperar seus familiares. Crianças e idosos que têm dificuldades de locomoção ficam à mercê”, explicou Dulce Gomes, de 49 anos, auxiliar de cabeleireira.

SAIBA MAIS

Residencial Ribeira
Com três mil unidades, o Residencial Ribeira, situado na zona rural de São Luís, foi entregue à população no dia 22 de maio de 2015 - etapas I, II, III, V, VI, VII e VIII. De acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF), mais de 15 mil pessoas foram beneficiadas com a entrega das residências do Programa Minha Casa Minha Vida. Localizado no bairro Ribeira, o empreendimento é composto por nove etapas, sendo 1.408 apartamentos, distribuídos em 88 blocos de quatro pavimentos e quatro unidades por andar.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.