Cidades | Esperança de dias melhores

Campanha da Fraternidade tem como tema o combate à violência

Principal foco no combate à violência vem dos dados que têm preocupado representantes da Igreja Católica, que não admite que no Brasil ocorram tantas mortes violentas, ainda mais do que no Congo
Robert W. Valporto / O Estado17/02/2018

SÃO LUÍS - Combate à violência é o foco da Campanha da Fraternidade da Igreja Católica, que terá abertura na tarde deste sábado, 17, no Ginásio Georgiana Pflueger, o Castelinho. Na tarde de sexta-feira, 16, representantes da igreja e coordenadores estiveram presentes em uma entrevista à imprensa, anunciando a campanha.

O principal foco no combate à violência vem dos dados que têm preocupado representantes da Igreja Católica. Segundo eles, é inadmissível que no Brasil ocorram tantas mortes violentas, inclusive mais do que no Congo, que vive em guerra há mais de 60 anos.

Dom José Belisário, arcebispo metropolitano de São Luís, ressaltou o principal desafio do combate à violência, que ataca a humanidade desde os seus primórdios. “Acho que mensagem que queremos levar neste ano é que nós não percamos a esperança. Acredito e acho que precisamos pensar que esses tempos de muita violência são apenas períodos de transição para dias melhores”, relatou.

Ainda segundo o dom Belisário, os principais a serem abraçados pela Campanha da Fraternidade 2018 são os jovens. “A esperança que eu falo que precisa ser devolvida é principalmente nos jovens. No Brasil, quem mata normalmente é o jovem, mas quem morre também são eles. Precisamos mudar essa realidade, até mesmo com um sentimento de patriotismo, se for o caso”, frisou.

Presente no evento e questionado sobre como combater a violência que parte da polícia, o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, disse que há treinamentos para que esses servidores públicos atuem no fazer da lei e não uso da violência no seu trabalho diariamente.

“Nós temos como pressuposto que os policiais maranhenses precisam estar nivelados em um pensamento, usar da força intelectual em detrimento da força física, por mais que haja necessidade de usar força para imobilizar os fazedores de violência pelo estado. Temos um contingente de 80% do efetivo policial que já participou de treinamentos para essa conscientização”, enfatizou.

SAIBA MAIS

O lançamento da campanha, na Arquidiocese de São Luís, ocorre hoje, sábado, 17, no Ginário Georgina Pflueger, o Castelinho. A santa missa será celebrada às 17h, presidida pelo arcebispo metropolitano, dom José Belisário, reunindo padres, diáconos, religiosos, leigos e autoridades em geral.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte