Estado | Protesto

Índios protestam e ocupam prédio do governo em Imperatriz

Indígenas, que se intitulam “Guardiões Guajajara”, exigem proteção da reserva de Arariboia e lutam contra madeireiros ilegais em Imperatriz
31/08/2017 às 16h31
Índios protestam e ocupam prédio do governo em Imperatriz  Guardiões Guajajara estão protestando pela proteção de sua terra (Divulgação)

SÃO LUÍS – Um grupo de indígenas brasileiros, aclamados como heróis por protegerem a Amazônia e despejarem madeireiros ilegais, ocuparam um prédio do governo para exigir a proteção de suas terras. É o primeiro protesto deste tipo feito por estes indígenas, conhecidos como os Guardiões Guajajara. Seu povo enfrenta uma crise emergencial, pois grande parte de sua floresta foi destruída. Um grupo de indígenas brasileiros, aclamados como heróis por protegerem a Amazônia e despejarem madeireiros ilegais, ocuparam um prédio do governo, na cidade de Imperatriz, para exigir a proteção de suas terras.

É o primeiro protesto deste tipo feito por estes indígenas, conhecidos como os Guardiões Guajajara. Seu povo enfrenta uma crise emergencial, pois grande parte de sua floresta foi destruída. Os Guardiões trabalham para proteger sua floresta. Eles compartilham a área, conhecida como Terra Indígena Arariboia, com indígenas isolados Awá.

Tainaky Guajajara, um dos líderes dos Guardiões, disse no protesto na cidade de Imperatriz: “Nós interditamos a FUNAI para reivindicar nossos direitos de proteção territorial e ambiental. Precisamos de apoio urgente. Nossa terra está sendo invadida, agora, neste momento. O governo brasileiro esqueceu de nós – a gente não existe para ele. Então chegou o momento, chegou o nosso limite de aguentar esse desprezo do governo.”

Kaw Guajajara, coordenador dos Guardiões Guajajara, disse: “Os Awá isolados não vivem sem a floresta. Através dos Guardiões, a gente combateu muita invasão dos madeireiros… Enquanto nós estivermos vivos, nós estamos lutando por todos nós aqui, pelos isolados, e pela natureza."

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte