Polícia | Crime hediondo

Morre em Grajaú bebê que teria sido estuprado

Caso está sendo investigado pela Polícia Civil que abriu inquérito; corpo da criança foi levado para o IML de Imperatriz para ser submetido a exames
Leandro Santos29/07/2016

A Polícia Civil da cidade de Grajaú (distante aproximadamente 600 km de São Luís) já iniciou as investigações para apurar a morte de um bebê recém-nascido que teria ocorrido em decorrência de um estupro que ele sofreu. A criança tinha apenas 42 dias de vida, segundo a mãe que registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia, comunicando o fato.

As investigações estão sob a responsabilidade do delegado Kairo Clay, da delegacia de Grajaú. O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Imperatriz e o laudo com os detalhes do óbito deve ficar pronto nos próximos dias.

Ocorrência
No depoimento, a mãe da criança relatou que seu filho passou mal e foi conduzido ao hospital ainda em Grajaú já que estava com febre. Na unidade de saúde, após ser medicado, ele foi conduzido para o Hospital Geral de Grajaú, porque teve seu quadro alterado. No local, a coordenação do hospital orientou que a mãe que levasse o recém-nascido para Imperatriz, onde teria um atendimento mais especializado.

A mulher levou o filho para o Hospital Regional de Imperatriz, onde ele passou quatro dias internado, quando então faleceu. Ainda de acordo com a mãe, o seu filho evacuava sangue e o médico que o atendeu disse que a criança possivelmente teria sido vítima de estupro.

Chegando a Grajaú, a mãe registrou na quarta-feira o caso na delegacia da cidade, fazendo um Boletim de Ocorrência. No momento do velório da criança, a polícia chegou ao local para pegar o corpo do recém-nascido e encaminhá-lo para o IML de Imperatriz.

“Nós já iniciamos as investigações sobre o caso e já temos suspeitos, mas no momento não podemos falar mais nada”, informou o delegado Kairo Clay. O laudo com os resultados dos exames deverá ficar pronto nos próximos dias. l

Saiba Mais

Pena de 15 anos

O crime de estupro de vulnerável é punível de acordo com o Código Penal Brasileiro. O responsável pelo delito tem uma pena de oito à 15 anos de reclusão. Mas se essa conduta resulta na morte da vítima, a pena aumenta e passa a variar de 12 à 30 anos de prisão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte