Política | CÂMARA

Maia derruba duas decisões de Waldir Maranhão sobre CPIs

Novo presidente da Câmara dos Deputados afirma que não há fato determinado para a investigação e nega acordo firmado com PCdoB
Com informações do Estadão Conteúdo19/07/2016 às 07h44
Maia derruba duas decisões de Waldir Maranhão sobre CPIsNovo presidente da Casa manteve decisão de anular criação da CPI da UNE (Flávio Soares)

BRASÍLIA - O novo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer manter a decisão de Waldir Maranhão (PP-MA) de anular a criação da CPI da UNE. O deputado, no entanto, já reviu duas decisões do seu antecessor e decidiu encurtar a vida das CPIs do Carf e da Funai e Incra.

"Não vou fazer nada contra a decisão dele", disse Maia, que foi um dos signatários da CPI da UNE. Ele afirmou que não revogará o despacho do pepista sobre uma questão de ordem formulada por Orlando Silva (PCdoB-SP), seu aliado.

Maia desfez a prorrogação de 60 dias para as CPIs do Carf e da Funai e Incra determinada pelo pepista e deu só um mês para a conclusão dos trabalhos destas comissões. As decisões estão ligadas a um acordo em feito nos bastidores feitas entre líderes da Câmara. "É preciso pacificar a Casa e romper com radicalismos. O uso de CPIs foi objeto de conversa com líderes. A lógica é acabar com CPIs para atender fins que não se sabem quais", revelou Orlando Silva.

Antonio Imbassahy (BA), O líder tucano, confirmou a disposição de não apoiar a criação de CPIs que tenham objetivos obscuros. "Não queremos fazer CPIs que deem como essa do Carf", justificou

Segundo deputados, no encontro em que se discutiu o acordo, Maia e Maranhão estavam preocupados com o ambiente de intolerância e com a necessidade de apaziguar a Casa para votar as pautas de interesse do governo. A avaliação de alguns parlamentares é que a CPI da UNE foi criada por "vingança" do ex-presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e a CPI para investigar os negócios do banco BTG-Pactual tinha um foco demasiadamente amplo.

Chegou-se a comentar que Maia teria prometido ao PCdoB barrar a CPI em troca de votos. O presidente não só nega como diz que o partido votaria nele "independente de qualquer coisa". A vaga da CPI da UNE foi preenchida pela CPI da Lei Rouanet, que está na fase de indicação de membros pelas lideranças partidárias.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte