Alternativa sustentável

Estudantes reaproveitam cascas de coco para criar combustível sólido de alto rendimento em Tutóia, no Maranhão

Os jovens são alunos de uma escola pública de Tutóia, e chegaram a ser premiados pela iniciativa em um concurso nacional.

Anne Cascaes / Imirante.com

- Atualizada em 29/11/2023 às 21h51
Os alunos que desenvolveram o projeto de combustível sólido estão no primeiro ano do ensino médio. (Foto: Reprodução)
Os alunos que desenvolveram o projeto de combustível sólido estão no primeiro ano do ensino médio. (Foto: Reprodução)

TUTÓIA - Do interior do Maranhão surgiu uma iniciativa que pode impactar e colaborar com a otimização da renda e o desenvolvimento sustentável. Um grupo de estudantes de escola pública que estão no 1º ano do ensino médio, na cidade de Tutóia, desenvolveu um projeto que transforma resíduos em uma fonte de energia limpa e acessível.

Quem visita a cidade de Tutóia, logo percebe a quantidade de cocos que são comercializados por lá. Seja para se refrescar nas praias da cidade ou para incrementar receitas, o produto faz parte do dia a dia da comunidade local e pode, ainda, ir além: há ruas do povoado Arpoador, por exemplo, que são pavimentadas com as cascas de coco reaproveitadas, ao invés de se acumularem ou serem descartadas de forma irregular. 

Praia localizada no povoado Arpoador, em Tutóia. (Foto: Anne Cascaes / Imirante)
Praia localizada no povoado Arpoador, em Tutóia. (Foto: Anne Cascaes / Imirante)

E foi a possibilidade de reaproveitar os resíduos que inspirou a criação do projeto de um combustível sólido de alto rendimento produzido com as cascas de coco e a serragem. O combustível sólido desenvolvido pelos estudantes não apenas representa uma solução ambientalmente amigável para o descarte de resíduos, mas também oferece uma alternativa viável aos combustíveis tradicionais.

Combustível sólido produzido a partir de cascas de coco no Maranhão. (Foto: reprodução)
Combustível sólido produzido a partir de cascas de coco no Maranhão. (Foto: reprodução)

“Tutóia tem muito coco, e esses cocos são largamente consumido pelos turistas, só que o descarte irregular das cascas fez com que nós pensássemos em um modo de aproveitar esse resíduo, tanto que esse não é o único projeto que nós temos que aborda o aproveitamento das cascas de coco”, explica o professor Lute Rafael, que orientou o grupo de alunos envolvidos na iniciativa.

‘Made In Tutóia’

O engajamentos dos alunos envolvidos na ideia foi motivada por uma iniciativa de Lute Rafael, juntamente com os dois colegas professores Rayza Mourão e André Leite. Eles criaram uma eletiva disciplinar chamada de 'Made In Tutóia, que incentivava os adolescentes a explorarem soluções que pudessem ter uma abordagem totalmente local, visando produções da própria cidade.

“A eletiva [Made In Tutóia] tratava dos três produtos principais da cidade: camarão, coco e mandioca. Era uma eletiva que abordava tópicos de ciência, empreendedorismo e gastronomia, e foi daí que surgiu a ideia”, conta o educador. 

Veja o vídeo produzido pelos alunos para apresentarem a iniciativa no prêmio Solve For Tomorrow:

O montante de casca de coco e a serragem, anteriormente considerados resíduos sem valor significativo, agora são a matéria-prima para uma fonte de energia que pode impulsionar o desenvolvimento local. Foram cinco alunos envolvidos no projeto de combustível sólido de alto rendimento: Mackson Henrique, Ynara Santos, Rayka Silva, Luan Oliveira e Gustavo Silva, todos do 1º ano do Ensino Médio do Iema Casemiro de Abreu. 

“É incrível participar disso, e eu não tinha ideia de que um dia poderia estar participando de um projeto como esse, eu me sinto muito realizada porque, como a maioria das pessoas sabem, Tutóia não tem muita oportunidade então desenvolver um projeto como esse pro nosso Estado como um todo é muito significativo”, relata uma das estudantes envolvidas no projeto, Ynara Santos.

Com o projeto, o combustível desenvolvido pelos estudantes possui o potencial de oferecer uma fonte de energia mais acessível, contribuindo assim para a melhoria das condições de vida e promovendo a igualdade de oportunidades. Este avanço tecnológico coloca o município de Tutóia, que já é observado do ponto turístico, no mapa da inovação.

“É um papel muito importante que temos desenvolvido. Eu tive, felizmente, uma oportunidade que muitos alunos poderiam ter tido, então graças ao nosso esforço como equipe podemos ver onde nós chegamos com o nosso trabalho”, conta, empolgada, a integrante do grupo Rayka Silva.

Reconhecimento

A relevância desse projeto vai além das fronteiras locais. Em um mundo cada vez mais preocupado com a sustentabilidade, a iniciativa dos estudantes maranhenses se destacou no prêmio nacional Solve For Tomorrow, realizado em São Paulo, e ganhou em 2º lugar como um exemplo inspirador de como a inovação pode ser uma aliada na construção de um futuro mais sustentável e equitativo.

Estudantes apresentaram o projeto em uma premiação nacional em São Paulo. Na foto, o grupo estende a bandeira da cidade de Tutóia. (Foto: Anne Cascaes/ Imirante)
Estudantes apresentaram o projeto em uma premiação nacional em São Paulo. Na foto, o grupo estende a bandeira da cidade de Tutóia. (Foto: Anne Cascaes/ Imirante)

“Eu sempre procuro por editais, esse ano já participei de uma final de concurso, participamos agora do Solve For Tomorrow e em março já tem um outro concurso para participar. A nossa ideia já existia, mas com a oportunidade de participar deste concurso, tivemos a oportunidade de receber mentorias que nos possibilitaram a melhorar ainda mais o nosso projeto”, pontua Lute Rafael.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.