Condenação

Acusado de ter estuprado e matado a ex-enteada é condenado a 20 anos

A vítima foi encontrada morta com sinais de estrangulamento e violência sexual em um terreno nas proximidades de sua residência, em Paulino Neves.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h00

TUTÓIA - O Tribunal do Júri condenou Hamilton Araújo Ferreira a 20 anos e nove meses de prisão, na última terça-feira (22), acusado de ter estuprado e matado uma adolescente, de 17 anos. De acordo com a polícia, o acusado havia mantido uma relação amorosa com a mãe da vítima. O crime ocorreu no dia 1º de janeiro de 2017, na cidade de Paulino Neves, interior do Maranhão.

Leia também em:

Começa julgamento de seis acusados de linchar homem amarrado em poste

Julgamento de PM e vigilante, acusados de triplo homicídio no Coquilho, é adiado para fevereiro

O julgamento ocorreu no auditório da Secretaria de Educação de Tutóia e presidido pelo juiz da 1ª Vara da Comarca de Araioses, Marcelo Fontenele Vieira. Durante a sessão, o magistrado ouviu as testemunhas, o acusado como também abriu o espaço para a explanação da defesa e do representante do Ministério Público.

Denúncia

Segundo a denúncia do Ministério Público, no dia 1º de janeiro de 2017, a adolescente foi encontrada sem vida em um terreno, localizado nas proximidades de sua residência, com sinais de estrangulamento e de violência sexual.

Pelo que foi apurado pela polícia, Hamilton Ferreira, depois de estuprar a adolescente, optou por ceifar a vida dela, temendo ser descoberto. O acusado compareceu descalço no velório da vítima. A polícia constatou vestígios de sandália, que era usada pelo réu, no local do crime e nas imediações.

Ainda, foram percebidas diversas marcas da mesma sandália que, pelo posicionamento e direção, denotavam que quem as calçava tentava entrar na casa da adolescente. Marcas semelhantes foram encontradas próximas ao corpo da vítima.

Foi apurado que o acusado já havia mantido relacionamento amoroso com a mãe da menina, sendo que o mesmo admitiu que investiu contra a menor algumas vezes, objetivando relacionar-se sexualmente com ela, inclusive enviando mensagens que nunca eram respondidas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.