(Divulgação)

COLUNA

Estado Maior
Notas sobre a política local, regional e nacional.
Estado Maior

Com trajetória partidária na esquerda, Yglésio anuncia apoio de Bolsonaro em SL

Deputado, que ainda é filiado ao PSB, já foi de partidos de esquerda como PT e PDT e é apoiador do governo de Carlos Brandão, aliado do presidente Lula e do ministro Flávio Dino.

Ipolítica

Yglésio Moyses, após ser de vários partidos de esquerda, agora quer ser candidato da direita em São Luís
Yglésio Moyses, após ser de vários partidos de esquerda, agora quer ser candidato da direita em São Luís (Reprodução/redes sociais)

SÃO LUÍS - A pré-campanha pela Prefeitura de São Luís segue pouco movimentada. O que existe de mais recente é a visita do deputado Yglésio Moyses (PSB) ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) se colocando como pré-candidato a prefeito pela direita no Maranhão e recebendo apoio do ex-comandante do Brasil.

E a movimentação do parlamentar é, no mínimo, incoerente com toda a sua trajetória política. Yglésio Moyses iniciou na vida pública sendo candidato a vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em 2012. Logo depois foi para a direção do Socorrão I, na qual teve uma polêmica passagem. 

Pouco tempo depois, Yglésio Moyses se candidatou a deputado estadual pelo PT também. Não se elegeu e quatro anos depois buscou um caminho que pudesse levá-lo para a Assembleia Legislativa e, então, se filiou ao PDT. Desta vez foi eleito.

E como deputado foi um árduo defensor do Palácio dos Leões que, na ocasião, era comandado por Flávio Dino (PSB), agora ministro da Justiça.

Dois anos após ser eleito deputado, Yglésio pegou carona na tese governista de que para a Prefeitura de São Luís eram necessárias múltiplas candidaturas. Ele deixou o PDT e se filiou ao Pros para ser candidato a prefeito e conseguiu, conquistando menos de 10 mil votos no pleito.

Na reeleição, o deputado decidiu compor a chapa do PSB (partido de Dino). Conseguiu, mas antes do segundo turno decidiu não manter sua trajetória partidária.

Moyses - mesmo se candidatando e se elegendo em todos os pleitos em partidos ligados a chamada esquerda e sempre ligados ao Palácio dos Leões - declarou apoio a ex-presidente Jair Bolsonaro. Tudo para mostrar insatisfação a Dino e seu fiel escudeiro, Ricardo Capelli.

E agora - unindo seu ódio pelo ministro e um espaço que acredita que pode ocupar - ele quer ser candidato a prefeito pela dita direita do Maranhão. 

Alguns problemas são básicos e Yglésio terá que ultrapassar. Primeiro é justificar sua trajetória e sua repentina mudança de posição sendo ele um governista de primeira linha ao ponto de defender e elogiar o governador Carlos Brandão, que é de um partido da dita esquerda. 

Depois é por qual partido ele conseguirá ser o candidato da direita. Ele tentou o Novo que decidiu nem filiá-lo. Pelo PL? Não é algo tão simples, mas não é impossível. Tudo depende do deputado federal Josimar de Maranhãozinho e suas estratégias para a eleição em São Luís, 

O parlamentar do PL é um político pragmático e não é afeito a disputas ideológicas mesmo sendo estas ideologias no Brasil mera "teoria de mesa de bar".

O fato é que Yglésio vê um nicho eleitoral que pode ocupar e há quem defenda com a tese de que o parlamentar pode tirar os votos da dita direita que possam ser do prefeito Eduardo Braide (PSD). 

Resta saber se, sendo candidato em 2024, Moyses se declarará um dos nomes do Leões ou fingirá que não tem relação com o governador que é do PSB e assim se posicionando como independente e defensor das causas avessas à esquerda.   

As opiniões, crenças e posicionamentos expostos em artigos e/ou textos de opinião não representam a posição do Imirante.com. A responsabilidade pelas publicações destes restringe-se aos respectivos autores.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.