Greve de novo?

Vereadores alertam para possibilidade de nova greve no transporte público de SL

Parlamentares dizem que acordo da Prefeitura com empresários feito com mediação do TRT não vem sendo cumprido pela gestão de Eduardo Braide.

Ipolítica

Na Câmara, vereadores dizem que prefeito Eduardo Braide não levou em consideração o relatório técnico da CPI do Transporte Público
Na Câmara, vereadores dizem que prefeito Eduardo Braide não levou em consideração o relatório técnico da CPI do Transporte Público (Paulo Soares)

SÃO LUÍS - Vereadores de São Luís alertaram, na Câmara Municipal, que uma nova paralisação no serviço de transporte público na capital. Segundo os vereadores, atrasos no pagamento do subsídio por parte da Prefeitura estão levando a empresas a atrasar o salário de motoristas e cobradores.

O assunto foi levado ao plenário pelo vereador Álvaro Pires (PMN). Ele, que foi o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte público, foi o primeiro a se manifestar sobre a possibilidade de paralisação.

Segundo o parlamentar, há a quebra de um acordo firmado pela Prefeitura junto aos empresários e trabalhadores no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O acordo passa pelo subsídio da gestão do prefeito Eduardo Braide (sem partido) às empresas. Esta verba é que garantiria o reajuste de motoristas e cobradores.

“Hoje, nas primeiras horas do dia, eu fiz um alerta à população. Na última greve de ônibus que tivemos, a Prefeitura de São Luís via TRT fez um acordo com os trabalhadores e empresários do sistema de transporte e, esse acordo, era de ajudar no percentual de 3% no salário dos trabalhadores do sistema, sendo que tudo isso foi lavrado em ata perante o Tribunal do Trabalho. E o que nos deixa triste é que hoje está completando 30 dias que estes trabalhadores não recebem salário, levando a um descumprimento do acordo e fazendo o ‘fantasma’ greve de ônibus volta a assolar nossa cidade”, disse Pires.

Sugestões

De acordo com Álvaro Pires, várias modalidades de tarifas foram apresentadas no relatório da CPI para que o custeio do sistema não saísse mais do bolso do trabalhador e nem do empregador. No entanto, segundo destacou, as medidas não foram levadas em consideração pela administração municipal.

“Eu fiz um relatório técnico, feito por esta Casa [durante as investigações da CPI], ajudado pelo grande vereador Chico Carvalho. Foi um dos relatórios mais técnicos que teve no país nesse momento difícil que o sistema de transporte passa e, infelizmente, eu acho que a prefeitura nem sequer leu o nosso relatório. A gente colocou várias modalidades de tarifas para que o custeio do sistema não saia mais do bolso do trabalhador e nem do empregador. Esse é o nosso papel, esse é o papel do vereador, a gente tem feito isso e, infelizmente, a prefeitura descumpre não só com a Casa, mas com a cidade”, afirmou o vereador.

O vereador Chico Carvalho (Avante), que foi presidente da CPI, também se manifestou. De acordo com o parlamentar, as sugestões apresentadas no relatório das investigações poderiam minimizar e ajudar o sistema de transporte a funcionar.

“Eu quero parabenizar o vereador Álvaro Pires por alertar mais uma vez sobre uma nova greve no transporte coletivo na cidade. Às vezes, a gente ouve falar mal da CPI, mas no final do relatório [das investigações] apresentamos várias sugestões para minimizar e ajudar o sistema de transporte a funcionar, infelizmente, eu acho que nem leram o relatório encaminhado da CPI para a prefeitura e nós estamos vendo uma nova ameaça de greve que poderá trazer um caos para a sociedade ludovicense”, afirmou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.