Tiro

Cerca de 80% das mortes violentas em setembro na Ilha são por arma de fogo, segundo SSP

Somente durante os dois primeiros dias do mês de setembro aconteceram 11 mortes e uma das vítimas foi um cabo da PMMA.

Imirante.com

- Atualizada em 03/10/2022 às 16h50
O cabo da PMMA Montelo foi morto a tiros no Angelim, em São Luís.
O cabo da PMMA Montelo foi morto a tiros no Angelim, em São Luís. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS -  Cerca de 80% das 32 mortes violentas ocorridas durante o mês de setembro deste ano na Região Metropolitana de São Luís foram ocasionadas por arma de fogo, segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA).

Leia também em: 

Após assassinato de PM na última noite, mais cinco pessoas são mortas a tiros na Grande São Luís

Trinta e dois acusados de homicídio e tentativa de assassinato serão julgados em setembro no fórum do Calhau

Entre as mortes violentas, de acordo com a SSP-MA, 28 casos foram tipificados como homicídio doloso, três como latrocínio (roubo seguido de morte) e uma morte em confronto com a polícia. Este caso aconteceu no último dia 9, a vítima foi um homem de 21 anos e aconteceu no Mangue Seco. 

Dias violentos

Os dados da SSP-MA ainda revelam que somente nos dois primeiros dias do mês passado um total de 11 pessoas foram mortas a tiros na Grande Ilha. Um dos primeiros casos teve como vítima o cabo da Polícia Militar do Maranhão, Itanihelio Montelo Rocha. 

Esse crime aconteceu na noite do dia primeiro de setembro, no bairro Angelim. De acordo com a Polícia Civil, o caso tratou-se de uma tentativa de assalto, que levou a uma luta corporal entre o criminoso e a vítima. O militar acabou sendo baleado no peito e no braço. 

O autor, por sua vez, fugiu levando a pistola da vítima e deixando um revólver calibre 38 para trás. A vítima foi socorrida em um hospital particular na capital, mas não resistiu. O PM Montelo era lotado no 9º BPM. 

Ainda na noite do dia primeiro aconteceram quatro mortes. Um dos casos foi na rua Carlos Augusto, no Parque Jair, em São José de Ribamar. A vítima foi identificada como Carlos Henrique Sousa Soares, de 22 anos, que estava de bicicleta quando foi abordado pelos criminosos. Depois do crime, ele foi encontrado caído no chão, com mais de cinco perfurações de arma de fogo. 

Também houve morte na rua do Fio, no Cruzeiro do Anil, um jovem identificado como José de Ribamar Nascimento dos Santos, de 18 anos, foi morto com um tiro na cabeça.

O óbito foi confirmado por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A vítima estava de bicicleta quando foi abordada e assassinada por uma dupla em uma motocicleta preta.

Mais tarde, em torno de 22h50 na rua Kenia Cristina, no Parque Jair, outro homicídio por arma de fogo foi registrado. A vítima foi identificada como Mateus Teixeira da Costa, de 20 anos. Ele foi assassinato com um tiro na cabeça, segundo informações policiais. Ainda teve um homicídio de um homem, de 21 anos, no bairro Santa Cruz.

Na madrugada do dia 2 do mês passado foi morto um homem, de 29 anos, na região do Mercado Central, no Centro. Ele foi encontrado com marcas de disparos de arma de fogo no abdômen e no braço.

Ainda na madrugada desse dia, a polícia registrou um duplo homicídio no Residencial João Alberto. De acordo com informações policiais, no local do assassinato há intensa venda e consumo de drogas. No decorrer do dia 2 do mês passado, a polícia também registrou mortes violentas no Cohatrac IV, Vila Roseana Sarney e Residencial Nova Aurora.

Mortes violentas durante o mês passado na Ilha

Homicídio doloso: 28 casos

Latrocínio: 3 casos 

Confronto policial: 1 caso

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.