Eleições 2022

Weverton Rocha protagoniza convenção do PDT em megaevento no Nhozinho Santos

Evento contou com grande público no estádio municipal e confirmou a pré-candidatura do pedetista ao Governo do Estado.

Ronaldo Rocha / Ipolítica

- Atualizada em 29/07/2022 às 23h28
Weverton Rocha protagonizou convenção do PDT no Nhozinho Santos
Weverton Rocha protagonizou convenção do PDT no Nhozinho Santos (Matheus Soares / Grupo Mirane)

SÃO LUÍS - O senador Weverton Rocha foi confirmado para a disputa do Governo do Maranhão em convenção do PDT, o seu partido político. 

A convenção foi realizada no estádio Nhozinho Santos, num megaevento, com estrutura de palco e iluminação e que tomou as arquibancadas e o gramado da arena municipal.

Além de alguns dos principais aliados na disputa, a exemplo do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL); senador Roberto Rocha (PTB) e Eduardo Braide (sem partido), o evento contou com a presença de deputados estaduais e federais, vereadores e prefeitos e lideranças de municípios do interior do estado.

Caravanas de pré-candidatos a deputados (estaduais e federais) de todas as regiões do estado, participaram da convenção.

O evento foi inciado às 16h - com a concentração de militantes -, e terminou depois das 22h. Todas as vias do bairro Vila Passos, onde o estádio Nhozinho Santos fica situado, foram tomadas de veículos de grande e pequeno porte, utilizados por quem participava e assistia a convenção. 

Agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) distribuídos em algumas das principais vias, orientavam motoristas e pedestres no trânsito, que em determinados momentos provocou transtornos.

Discurso

Weverton Rocha foi o último a discursar. Depois de ouvir palavras de apoio de aliados, ele falou que por já ter exercido mandatos de deputado federal e senador da República, está preparado para governar o Maranhão.

O pedetista citou também o empenho no Senado Federal, para que o Hospital do Amor fosse implantado na cidade de Imperatriz.

Leia também: Imirante participa de rodada de entrevistas com candidatos a Presidência da República

Weverton acrescentou que mantém uma luta permanente no Congresso Nacional em favor do cidadão pobre. 

“Esse Maranhão real é que eu quero convidar a todos vocês para debatermos e para discutirmos. Eu sou filho de uma professora e filho de um técnico agrícola. Eu rodo esse Maranhão e a cada feira que frequento eu pergunto tudo: de onde vem esse tomate, de onde vêm todos esses produtos? […] e a resposta é sempre a mesma: vem da Bahia, do Ceará ou do Piauí. E o Maranhão que tem todas essas terras não produz. Não está produzindo. Quando Jackson Lago renunciou a Prefeitura para assumir o Governo, disse que renunciava para poder fazer com que o estado produzisse. Mas hoje, 20 anos depois, continuamos sem produzir. […] O que não mudou foi o meu sonho, de ver um Maranhão melhor”, disse.

O pedetista afirmou que está preparado para fazer “o maior Governo que esse estado já presenciou”.

“Chego hoje na condição de pré-candidato a governador dizendo, muito obrigado. Obrigado por ter chegado até aqui. Foram longos meses caminhando do norte ao sul. Quis o destino que o próximo governador fosse filho do povo. E nós sabemos de cada um dos problemas do nosso povo”, enfatizou. 

Críticas

Ele criticou os gastos do Palácio dos Leões com “banquetes” e afirmou que é preciso fazer uma reflexão sobre a difícil situação enfrentada pelo povo maranhense. 

Weverton também se dirigiu aos aliados e elogiou aqueles que não se renderam às “chantagens do Palácio dos Leões”.

“Hoje, modéstia a parte, de todos os candidatos a governadores, quem veio lá de Imperatriz, quem conhece esse Maranhão de ponta a ponta, de rua a rua, sou eu. É Weverton”, pontuou.

O pré-candidato também afirmou que, apesar de jamais ter se aliado ao Grupo Sarney, vai reeditar programas sociais da gestão Roseana Sarney (MDB) que ele acredita terem sido referencial no estado.

“Eu irei reeditar o programa Primeiro Emprego no meu governo”, disse.

No fim, ele conclamou militantes a participarem ativamente da campanha eleitoral. “Eu sempre disse que treino é treino e jogo é jogo. Não vamos baixar nossas bandeiras. Cada um faça a sua parte, campanha não se faz só em TV e no rádio. Se faz no dia a dia, nas conversas no trabalho, na faculdade, nas ruas. […] Eu não tenho medo da opressão e muito menos do Palácio dos Leões”.

Convenção do PDT / Fotos: Matheus Soares

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.