Operação Odacro

PF apreendeu R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo no Maranhão

Ação foi desencadeada em São Luís, Codó, Dom Pedro, Santo Antônio dos Lopes e Barreirinhas, e mira desvios na Codevasf.

Gilberto Léda/ipolítica

- Atualizada em 20/07/2022 às 17h01
Dinheiro apreendido pela PF em mala.
Dinheiro apreendido pela PF em mala. (Divulgação/PF)

SÃO LUÍS - Ao cumprir mandados de busca e apreensão no bojo da Operação Odacro, desencadeada nesta quarta-feira, 20, em São Luís e mais quatro municípios do Maranhão, a Polícia Federal apreendeu aproximadamente R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo.

Os valores estavam em uma mala e em um cofre de um dos alvos da ação policial. Quantidades consideráveis de jóias, relógios e veículos também foram levados pelos federais.

Um dos alvos da operação é o empreiteiro Eduardo José Barros Costa, o Eduardo DP, ou Imperador - motivo pelo qual a PF batizou a ação com o sobrenome do soldado italiano que capitaneou uma revolta que colocou fim ao Império Romano.

DP, segundo as investigações, figura como sócio oculto de empresas investigadas num esquema de fraudes licitatórias perpetrado na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

“O líder desse grupo criminoso, além de colocar as suas empresas e bens em nome de terceiros, ainda possui contas bancárias vinculadas a CPFs falsos, utilizando-se desse instrumento para perpetrar fraudes e dificultar a atuação dos órgãos de controle”, diz a PF, em nota.

A direção Codevasf no Maranhão informou ao Imirante que se manifestará em nota sobre o caso. A defesa de Eduardo Costa ainda não foi localizada.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.