Denúncia

Roberto Rocha repudia desapropriação de hospital privado pelo Governo

Senador mostrou preocupação no Senado com ato realizado pelo Governo Flávio Dino e que resultou na desapropriação de um hospital privado na capital.

Ronaldo Rocha / Ipolítica

- Atualizada em 19/05/2022 às 13h37
Roberto Rocha é senador pelo PTB
Roberto Rocha é senador pelo PTB (Waldemir Barreto/Agência Senado)

SÃO LUÍS - Depois de ter levado para a tribuna do Senado Federal o caso da intervenção do Governo do Maranhão, na gestão do ex-governador Flávio Dino (PSB) no serviço de ferryboat, o senador Roberto Rocha (PTB) denunciou outro caso de intervenção do Executivo Estadual na iniciativa privada no Maranhão.

Trata-se do processo de desapropriação do Hospital HCI, da rede privada, e que havia sido alugado pelo Governo do Estado em 2020 para uso no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

O hospital fica situado na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no trecho conhecido como Roque Santeiro, próximo a um outro hospital particular de referência na capital.

Rocha afirmou que foi um médico, um dos 87 sócios do hospital privado, quem denunciou o caso ao seu gabinete.

Na denúncia, o médico afirma que o Governo do Estado não respeitou cláusulas contratuais, não se responsabilizou por dívidas bancárias existentes e “apunhalou” os 87 sócios do hospital logo após ele ter sido alugado para o  Executivo.

Leia também: Senado defende intervenção do Governo Federal na gestão de ferryboat

“A intervenção autoritária no Hospital HCI em 2020 é mais um retrato da administração catastrófica do ex-governador comunista Flávio Dino, que sempre se posiciona ideologicamente contra o capital privado e a liberdade econômica”, disse Roberto Rocha.

Rocha apresentou o decreto de desapropriação baixado por Dino no dia 28 de agosto de 2020. 

“Passou a ser uma rotina, infelizmente, no estado que tem a população mais vulnerável do país, que é o Maranhão, a iniciativa por parte do Governo fazer como se faz na Venezuela, como se faz em Cuba, se faz na Coréia do Norte. Nós não estamos falando da suspensão de um serviço público, nós estamos falando de uma intervenção numa empresa privada, ou seja, algo absolutamente inacreditável que possa acontecer em nosso país onde tem que reinar a democracia”, finalizou.

Outro lado

Por meio de nota, a assessoria do ex-governador se manifestou.

Abaixo, a íntegra da nota.

"A assessoria do ex-governador Flávio Dino esclarece que o HCI estava fechado. Foi aberto pelo Governo do Estado e salvou milhares de vidas. A abertura obedeceu às leis. Defender que um hospital fique fechado em tempos de pandemia é imoral". 

Att.

Assessoria Flávio Dino 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.