Estado Maior

Governo comemora 270 novos policiais com a possibilidade de perder mais de 2 mil

Informações da Diretoria de Pessoal da Polícia Militar consta lista de 2040 policiais militares que podem ir para a reserva remunerada em 2022 e 2023.

Ipolítica

Efetivo da Polícia Militar pode diminuir com aposentadoria de mais de 2 mil policiais
Efetivo da Polícia Militar pode diminuir com aposentadoria de mais de 2 mil policiais (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Esta semana, o governador Carlos Brandão (PSB) fez anúncio de formação de 274 de policiais militares que já trabalharão nas festas juninas deste ano. Eles são oriundos da convocação feita pelo então governador Flávio Dino (PSB) em março deste ano.

Acontece que os 274 policiais aptos agora para atuar nas ruas, fazem parte do universo de mais de 1,8 mil concursados aprovados e que já passaram pelo curso de formação, em 2018, e nunca foram nomeados. Muitos deles, na época, deixaram seus empregos para participar do curso.

Ou seja, o governo ainda tem muitos concursados da Polícia Militar para reforçar o efetivo que, em 2022 e 2023, pode perder mais de 2 mil homens. Isto porque completam 30 anos de serviço e podem pedir para ir para a reserva remunerada.

Os dados sobre os policiais aptos para e aposentarem consta em ofício enviado pela Diretoria de Pessoal para o Comando Geral da PM em março deste ano.

São 750 policiais que podem guardar a farda em 2022 e outros 1290, em 2023.

Os de 2022 são policiais que ingressaram na corporação em 1992. São 69 oficiais e outros 681 praças. Já em 2023, 65 oficiais podem ir pra reserva e 1225 praças podem se aposentar. O total é de 2040 policiais a menos no efeito que já é pequeno para todo o Maranhão.

E mesmo com esta previsão de menos policiais, o governo do Maranhão ainda comemora a incorporação de menos de 300 novos homens.

Base pequena

Um dos fatos que chamou atenção na reunião de Flávio Dino com os deputados estaduais foi a quantidade de parlamentares presentes.

Quando era governador, Dino chegou a ter 38 deputados em sua base de apoio. 

Agora fora do governo, o socialista - com articulação direta do presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB) - conseguiu a metade dos membros da Casa.

Resposta

E entre os presentes (foram 21 no total), há quem garanta que pelo menos um terço deles não vai declarar apoio a Flávio Dino para o Senado.

Segundo deputados, esta será uma resposta ao ex-governador que por inúmeras ocasiões, deixou de lado os membros da Assembleia Legislativa.

Ou melhor, “esnobou” como disse à coluna diversos deputados estaduais.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.