Meteorologia

Maio marca o início da transição do período chuvoso para o seco no Maranhão, mostra Nugeo

De acordo com o estudo, o mês de maio deve apresentar uma drástica diminuição dos totais pluviométricos.

Imirante.com, com informações do Nugeo

- Atualizada em 01/05/2022 às 12h56
Chuvas devem ficar menos intensas ao longo do trimestre.
Chuvas devem ficar menos intensas ao longo do trimestre. (Reproduçao/TV Mirante)

SÃO LUÍS - O Núcleo de Geoprocessamento da Universidade Estadual do Maranhão (Nugeo/Uema), divulgou a análise e previsão climática para os meses de maio, junho e julho de 2022 no Maranhão que marca a transição do período chuvoso para o período seco no Estado. A análise também monitorou o comportamento das chuvas no primeiro trimestre do ano.

Leia também:

Pontos de alagamento são registrados após chuva forte em São Luís

Ventos de até 60 km/h são esperados nas próximas 24 horas em cidades do Maranhão

De acordo com o estudo, o mês de maio deve apresentar uma drástica diminuição dos totais pluviométricos no Sul do Maranhão, apresentando volumes entre 25 a 50 mm, e ao norte, máximos de 300 mm. Já o mês de junho apresenta valores próximos a zero no Extremo Sul, mas, ainda sim, são esperados volumes entre 150 e 200 mm na região noroeste do Estado.

Para o mês de julho, segundo a previsão, as chuvas praticamente param em todo o Centro Sul do Maranhão, com chuvas mais significativas somente na faixa Noroeste do Estado, com volumes entre 100 e 150 mm. O acumulado trimestral maio, junho e julho evidencia baixos volumes da ordem de 25 a 50 mm no Extremo Sul, já indicando que esse trimestre se dá o início no período seco.

Comportamento das chuvas no primeiro trimestre do ano

Segundo a análise do Nugeo da Uema, até o mês de abril de 2022 as chuvas no Maranhão tiveram comportamento considerado normal, no que diz respeito aos acumulados mensais, porém, as chuvas diárias ao longo dos quatro primeiros meses do ano mostram que houve uma distribuição temporal e espacial ruim. Com isso, ficou constatado que houve uma concentração de chuvas muito intensa em pequenas áreas, o que provocou grandes problemas à sociedade, como inundações em municípios maranhenses.

Segundo trimestre

No trimestre maio, junho e julho boa parte do Estado já está fora do período chuvoso, então, segundo a Uema, a previsão deve ficar contida da região norte, onde a Zona de Convergência Intertropical (ZCI) ainda tem uma presença marcante e influencia chuvas significativas. Porém, o trimestre também marca a caminhada sazonal da ZCI em direção ao hemisfério norte, com isso, o segundo trimestre do ano deve permanecer dentro da faixa de normal a normal acima, pois boa parte das condições favoráveis permanecem e os modelos de previsão climática indicam persistência dessas boas condições indicando um trimestre ainda com boas chuvas no setor norte do Estado.

Os próximos meses devem apresentar, cada vez mais, dias sem chuva, pois é uma característica da transição do período chuvoso para o período seco

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.